Brasil avança na universalização escolar, mas atrasos na escolaridade ainda ocorrem

Escolaridade

Publicado em 15/07/2020 - 14:19 Por Tâmara Freire - Rio de Janeiro

Enquanto o Brasil avança na universalização de crianças e adolescentes entrando em sala de aula, alguns gargalos ainda impedem que elas saiam, na mesma proporção, com todas as etapas concluídas. Em 2019, 92,9% das crianças de 4 a 5 anos estavam na escola, porcentagem que chegou a 99,7% no caso daquelas com idade entre 6 e 14 anos, mas ficou em 89,2%, entre os adolescentes de 15 a 17.

 

Os dados são do Suplemento sobre Educação da Pesquisa Nacional de Amostragem de Domicílios (Pnad), divulgado nesta quarta-feira (15), pelo IBGE. No entanto, quando a pesquisa verifica se elas estão estudando na etapa adequada para a sua idade, os atrasos começam a aparecer já a partir da segunda etapa do ensino fundamental, com 12,5% dos adolescentes de 11 a 14 anos de idade ainda cursando os anos iniciais, índice que se aproxima de 19% na região Norte, e que é 4,2 pontos percentuais maior entre estudantes negros, na comparação com os brancos.

 

Pela experiência do professor de biologia Paulo Ricardo Rodrigues, que leciona em duas escolas em regiões periféricas do município de Serra no Espírito Santo, o atraso atrapalha ainda mais a mudança do ensino fundamental para o médio, que já tem seus desafios próprios, e contribui para a evasão.

 

E como uma bola de neve, o problema se aprofunda ainda mais entre os adolescentes de 15 a 17 anos, já que mais de 28% deles estavam foram da escola ou ainda cursavam o ensino fundamental, quando deveriam já estar no ensino médio.

 

Um dado que escancara como o Brasil ainda precisa avançar para cumprir as metas do Plano Nacional da Educação, que determinou a universalização da escolaridade para adolescentes dessa idade, até 2016, o que não ocorreu e estipulou que 85% deles devem estar no ensino médio até 2024, quase 14 pontos percentuais a mais que havia no ano passado.

 

A analista do IBGE Adriana Beringuy explica que o atraso continua a refletir na faixa etária dos 18 a 24 anos

 

Em 2019, a taxa de escolarização das pessoas de 18 a 24 anos, independentemente do curso frequentado, foi de 32,4%, percentual estatisticamente estável frente a 2018. Mas apenas 21,4% desses jovens frequentavam cursos da educação superior, enquanto 4,1% já tinham o diploma da faculdade.

 

Outros 11% estavam atrasados, ainda na educação básica e a grande maioria, 63,5% não frequentavam escola, abandonando ainda no ensino médio, ou depois de conclui-lo. Por cor ou raça, o cenário foi ainda mais marcante, com quase 38% das pessoas brancas de 18 a 24 anos estudando, sendo 29,7% no ensino superior, enquanto a taxa de escolarização entre os pretos e pardos ficou em 28,8%, com apenas 16,1% cursando uma graduação.

 

Além disso, 6% dos jovens brancos de 18 a 24 anos já tinham um diploma de graduação, enquanto, entre os pretos e pardos, isso cai para 2,8%.

Últimas notícias
Justiça

MPF abre novo procedimento após morte de cidadão em abordagem da PRF

Imagens veiculadas na internet mostram a vítima presa dentro de uma viatura esfumaçada. O IML de Sergipe identificou de forma preliminar que a vítima teve como causa da morte insuficiência aguda secundária a asfixia.

Baixar arquivo
Geral

Chuvas em AL: Governo reconhece situação de emergência em 9 municípios

O governo federal reconheceu a situação de emergência em nove municípios de Alagoas por causa das fortes chuvas que atingem o estado. Outras duas cidades estão com processo de reconhecimento federal em andamento. 

Baixar arquivo
Justiça

Chacina de Unaí: ex-prefeito é condenado a 64 anos de prisão

O Tribunal do Júri Federal condenou nesta sexta-feira o produtor rural e ex-prefeito Antério Mânica no caso do assassinato de três auditores fiscais e do motorista, em 2004, em Unaí (MG).

Baixar arquivo
Saúde

RJ: Casos de dengue aumentam 177% nos cinco primeiros meses deste ano

A capital fluminense concentra a maioria dos registros da doença, mas as regiões Noroeste e Norte apresentam alta transmissão, de acordo a Secretaria de Estado de Saúde.

Baixar arquivo
Economia

Ministério de Minas e Energia diz que estoque de diesel dura 38 dias

Se a importação desse combustível fosse suspensa, seria possível atender à demanda durante 38 dias, com esses estoques e a produção nacional.

Baixar arquivo
Economia

Eletrobras lança oferta de ações em mais um passo para privatização

A Eletrobras apresentou os documentos necessários para realizar a operação, com a qual a estatal espera movimentar mais de R$ 30 bilhões.

Baixar arquivo