Combate ao coronavírus impactou mais de R$ 600 bi nas contas públicas

Maior quantia vem do auxílio emergencial - quase R$ 322 bi

Publicado em 04/09/2020 - 20:00 Por Dayana Vitor - Brasília

O impacto fiscal das medidas de combate à covid-19 no Brasil é de R$ 605 bilhões até o momento. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (4) pelo Ministério da Economia, e o valor é calculado em cima da previsão do aumento de despesas e queda de receitas do governo federal.

Do total de 605 bilhões de reais, mais de 584 bilhões são em despesas e 20 bilhões e seiscentos milhões, em receitas. O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, detalhou como é feito esse cálculo.

Os números consideram a projeção de queda de 4,7% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2020, por causa da pandemia do novo coronavírus. O PIB é a soma de todas as riquezas produzidas no país. 

O maior impacto nas contas do governo vem do pagamento do auxílio emergencial.  No total, serão cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300 até o fim do ano. A ajuda representará quase R$ 322 bilhões aos cofres públicos.

Além disso, os estados e municípios devem receber mais de R$ 120 bilhões por meio de medidas que incluem o auxílio financeiro do governo, renegociações de dívidas com a União, bancos e organismos internacionais. A maior parte do dinheiro, mais de R$ 64 bilhões, vai para o Sudeste; outros R$ 20 bilhões vão para o Nordeste. 

O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, afirmou que o gasto com medidas de combate à covid-19 é maior aqui no Brasil do que em outros países.

Com todas as despesas, a previsão é de que o déficit do governo federal fique em mais de R$ 866 bilhões, ou seja, mais de 12% do PIB.

Edição: Ana Pimenta

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Governo vai expandir possibilidade de sinal de rádio FM

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, assinou nesta quinta-feira (13) uma portaria, junto com o presidente Jair Bolsonaro, para regularizar o serviço de retransmissão de rádio.

Baixar arquivo
Saúde

Rio registra aumento de leitos hospitalares pela 1ª vez em 10 anos

Após a perda de 16 mil leitos hospitalares, apenas entre 2011 e 2019, o Rio de Janeiro viu, em 2020, pela primeira vez, aumento no registro de vagas nas unidades de saúde.

Baixar arquivo
Política

Pesquisa DataSenado faz mapeamento de como a pandemia afetou o ensino

Estudante do oitavo ano do ensino fundamental em Brasília, Arthur Cardoso relata os desafios que tem enfrentado desde que as escolas fecharam, por consequência da pandemia do novo coronavírus.
 

Baixar arquivo
Saúde

Planos de saúde devem cobrir teste rápido de Covid-19

Os planos de saúde são obrigados a cobrir os testes sorológicos para a Covid-19. A medida foi aprovada pela Diretoria da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), por unanimidade, em reunião nesta quinta-feira (13).

Baixar arquivo
Economia

Governo lança aplicativo eSocial Doméstico para empregadores

A partir de agora o eSocial  tem aplicativo para celulares. Com a medida, empregadores poderão realizar registro do empregado e gerenciamento da folha de pagamento pelo celular.

Baixar arquivo
Política

Saúde diz que usou 48% dos recursos destinados ao combate à pandemia

O Ministério da Saúde gastou 48% dos recursos destinados exclusivamente para o combate à pandemia da Covid-19, informou o ministro interino da pasta, Eduardo Pazuello, durante audiência pública realizada nesta quinta-feira (13) no Congresso Nacional.

Baixar arquivo