Réu em duas ações penais, Michel Temer recebe autorização do TRF2 para viajar ao exterior

Réu por corrupção

Publicado em 09/10/2019 - 22:24 Por Fabiana Sampaio - Rio de Janeiro

O ex-presidente Michel Temer foi autorizado a viajar para a Inglaterra entre os dias 13 e 18 deste mês. Por dois votos a um, em sessão realizada nesta quarta-feira, a Primeira Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, confirmou liminar do pedido de habeas corpus da defesa autorizando a viagem de Temer, que é réu por corrupção em duas ações penais.

 

O ex-presidente da República foi convidado a participar de palestra na universidade britânica Oxford Union. O desembargador e relator Ivan Athié, que tinha concedido a liminar, manteve o voto favorável e foi acompanhado pelo colega Paulo Espírito Santo. O voto contrário à viagem veio do desembargador Abel Gomes.

 

Em parecer proferido da sessão desta quarta-feira, O Ministério Público Federal se posicionou contrário à liberação da viagem. O argumento é que a medida só seria cabível em situação de força maior ou necessidade. O procurador regional da República Carlos Aguiar afirmou que respeita a decisão do Tribunal, mas avaliou que a autorização dada pelo TRF2 não é razoável à condição de réu do ex-presidente.

 

“Nossa posição é que, de fato, nesses casos não deveria haver o deferimento, porque é um acusado submetido a medidas constritivas. Não está preso por decisão liminar do STJ, decisão essa que foi submetida por outras condições cautelares. Então a nosso ver isso não é compatível com o tipo de pedido feito aqui. Mas respeitamos o ponto de vista do tribunal”.

 

O advogado de Temer, Eduardo Carnelós, disse que a autorização para o seu cliente viajar ao exterior atende a normas constitucionais, já que o ex-presidente continua na condição de inocente até que haja decisão condenatória que não caiba mais recurso. Carnelós negou que a autorização represente um privilégio.

 

“O próprio desembargador Paulo Espírito Santo citou casos de outros acusados, até já condenados em primeira instância, que não era o ex-presidente Michel Temer e para quem ele, o desembargador, deferiu autorização para viajar ao exterior. Isso não é um privilégio. É preciso dizer: não é o primeiro caso de autorização concedida para viagem”.

 

A decisão da Primeira Turma especializada do Tribunal Regional Federal da Segunda Região coloca um ponto final na polêmica que começou em 19 de setembro, quando o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, negou a autorização da viagem.

 

Na ocasião, o magistrado alegou que a condição do ex-presidente Michel Temer é incompatível com a liberação para se ausentar do país por conta de um evento acadêmico, já que ele responde é acusado em duas ações penais por atos de corrupção.

Últimas notícias
Pesquisa e Inovação

Fiocruz celebra 122 anos com histórias de sucesso e projetos de futuro

Em 122 anos a fundação cresceu e está presente em todas as cinco regiões do Brasil, com núcleos em dez estados, além do Distrito Federal e ainda tem parcerias com instituições científicas de 50 países.

Baixar arquivo
Saúde

Amazonas: Oftalmologia Humanitária realizará cirurgias e doará óculos

Os moradores dos municípios de Barcelos, Santa Isabel e Novo Airão, no Amazonas vão receber atendimentos oftalmológicos de graça a partir deste domingo até o dia 7 de junho.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

ONU pede investigação "célere e completa" sobre morte em ação da PRF

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, morreu depois de ser colocado por agentes da PRF dentro de uma viatura de onde saía muita fumaça. O IML de Sergipe identificou de forma preliminar a causa da morte como asfixia..

Baixar arquivo
Geral

Ao menos 33 pessoas morrem por causa das chuvas em Pernambuco

Uma única ocorrência neste sábado causou 19 óbitos: um deslizamento de barreira em uma comunidade na zona sul do Recife.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Dia da Dignidade Menstrual alerta para falta de acesso a itens básicos

Este sábado (28) é o Dia Internacional da Dignidade Menstrual, data que chama a atenção para a urgência de se garantir o acesso a itens de higiene, infraestrutura adequada e informação.

Baixar arquivo
Economia

Por liminar, justiça suspende demissões na Caoa Chery em Jacarei - SP

Segundo decisão da justiça do trabalho as dispensas coletivas precisam de prévia negociação considerando o impacto social que causam. A empresa tem prazo de cinco dias para o cumprimento da medida sob pena de multa de R$ 50 mil por dia. 

Baixar arquivo