Rádio Nacional da Amazônia volta a operar em ondas curtas com 100% de capacidade

100% de capacidade

Publicado em 17/12/2019 - 17:49 Por Renata Martins - Brasília

Reencontrar velhos amigos, conhecer gente nova e percorrer lugares que fazia um tempinho que a gente não chegava. Essa foi a sensação de quem esteve no Rodeador, em Brazlândia, Distrito Federal; nos estúdios da Rádio Nacional da Amazônia em Brasília; e no barco, na cozinha de casa, na sua comunidade, na sua aldeia.


É que nesta terça-feira foi entregue a nova subestação de ondas curtas da Rádio Nacional da Amazônia, que vai permitir mais tempo no ar, de 8h à meia-noite, sem interrupções, com transmissores de 25 metros, na frequência de 11780kw, e de 49 metros, na frequência 6180.


O presidente da EBC, Empresa Brasil de Comunicação, Luiz Carlos Gomes Pereira, inaugurou o novo equipamento, que custou R$ 2,5 milhões. E disse que esse era um pedido dos ouvintes.


“Especialmente atendendo aquele horário que era uma reivindicação dos nossos ouvintes. A maioria das pessoas está em casa, trabalhando, tocando a sua vida, e eles sentem a necessidade do rádio das 12h às 16h”.


E quem está no estúdio já acompanha a alegria daqueles que há mais de dois anos não conseguiam sintonizar nossa programação.


Em março de 2017, a subestação de energia foi destruída por um incêndio. Seis meses depois as transmissões voltaram, mas apenas nos 25 metros e com tempo reduzido.


A apresentadora do Tarde Nacional, Juliana Maya, programa que durante dois anos e oito meses foi transmitido apenas pela internet, fala da emoção de voltar ao ar em ondas curtas.


“A gente sempre soube qual era o nosso papel, a gente só queria chegar. E hoje a gente volta a chegar nas casas, nas fazendas dessas pessoas, onde elas trabalham, nas aldeias, nas comunidades ribeirinhas, nesse lugares mais distantes que é difícil ter internet”.


No estúdio da Rádio Nacional da Amazônia, centenas de mensagens trazem o relato de quem estava com saudade de ouvir a programação que leva notícias e serviços. Mensagens como a de Roseli Matos, de Porto Esperidião, em Mato Grosso.


“Graças a Deus voltou a faixa de 49 metros, está sendo uma alegria para nós”.


O presidente da EBC, Luiz Carlos Gomes Pereira, destaca que a empresa tem o maior sitio de antenas do país e o quinto do mundo.


“As grandes nações do mundo de dimensão continental, ninguém abriu mão de suas ondas curtas. Estamos falando de China, Rússia, Estados Unidos, Canadá, Índia. Então estamos colocando em funcionamento uma estação que é estratégica para o país em termos de segurança - e também ajuda as pessoas. E mais do que isso, leva emoção”.


Com a nova subestação e com novos equipamentos de transmissão, a programação poderá até ser transmitida 24 horas.

Últimas notícias
Economia

Setor de serviços cresce 0,7% na passagem de maio para junho, diz IBGE

Com isso, se encontra 7,5% acima do nível pré-pandemia, de fevereiro de 2020, mas ainda 3,2% abaixo do ponto mais alto, conquistado em novembro de 2014.

Baixar arquivo
Saúde

Ingerir álcool durante a gravidez pode causar síndrome alcoólica fetal

Mesmo que seja baixa a quantidade de álcool ingerida pela futura mãe, ainda existe o risco da doença,  que pode trazer consequências gravíssimas para o feto e recém-nascidos.

Baixar arquivo
Economia

Quase metade dos brasileiros fazem "bicos" para ampliar renda

Pesquisa aponta que quase q metade dos brasileiros com 16 anos de idade ou mais precisaram fazer atividades extras nos últimos 12 meses para complementar sua renda.

Baixar arquivo
Saúde

Maranhão registra primeiro caso de varíola dos macacos

O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável.

Baixar arquivo
Economia

IBGE prevê safra recorde de 263,4 milhões de toneladas em 2022

O Brasil deve produzir, em julho, 263 milhões e 400 mil toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas. Um recorde! A estimativa está no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgado nesta quinta-feira pelo IBGE.

Baixar arquivo