PF investiga suposta corrupção em contratos para construção de navios

A ação aconteceu em três estados e é uma fase da Operação Lava Jato

Publicado em quarta-feira, 19 Agosto, 2020 - 13:07 Por Raquel Júnia - Rio de Janeiro

Dois mandados de prisão preventiva e seis de busca e apreensão foram cumpridos nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Alagoas, na manhã desta quarta-feira(19), em mais uma fase da Operação Lava Jato.

Segundo o Ministério Público Federal, a ação, chamada de Navegar é Preciso, tem o objetivo de aprofundar investigações sobre dois empresários envolvidos em esquemas de corrupção em contratos da Transpetro com o estaleiro EISA.

Quatro empresas do grupo e as residências dos empresários são alvos dos mandados de busca e apreensão. A prisão, inicialmente decretada como preventiva, foi substituída por domiciliar com monitoramento eletrônico em razão da pandemia do novo coronavírus.

O Ministério Público Federal afirma que uma apuração interna na própria Transpetro apontou prejuízos de mais de R$ 611 milhões decorrentes dos contratos com a empresa EISA.

Os executivos do estaleiro teriam agido em conjunto com o ex-presidente da estatal Sérgio Machado, que atualmente mantém um acordo de colaboração premiada com o Ministério Público Federal.

Segundo a força-tarefa, os prejuízos foram contabilizados em função da não entrega de três navios encomendados, além de uma embarcação que chegou a Transpetro, sendo que irregular. O valor também inclui recursos adiantados ao estaleiro. Um dos empresários teria apresentado pessoalmente duas notas promissórias relativas ao adiantamento, mas que nunca foram pagas.

Ainda de acordo com o MPF, no acordo de delação, Sérgio Machado relatou ter solicitado o pagamento de propina equivalente a 2% do valor dos contratos para a construção de quatro navios Panamax. A propina foi operacionalizada por meio de um falso acordo de investimento em campos de Petróleo no Equador, cuja operação era de uma empresa também pertencente ao empresário do EISA. O acordo falso tinha uma cláusula que facultava ao empresário cancelar o negócio mediante o pagamento de uma multa de R$ 28 milhões, exatamente o valor devido da propina, que então foi paga disfarçada de multa contratual por meio de 65 transferências bancárias feitas entre 2009 e 2013.

Além dos mandados de prisão e de busca e apreensão, a Justiça Federal também determinou o bloqueio de mais de R$ 651 milhões das pessoas físicas e jurídicas envolvidas e fixou medidas cautelares, como a proibição de movimentar contas no exterior, de realizar ato de gestão societária ou financeira em empresas no Brasil e em outros países, ou qualquer forma de ocultação de provas. Além da proibição de contratar com o poder público.

O estaleiro EISA fechou as portas e entrou em recuperação judicial em 2015. Na ocasião, mais de 3 mil funcionários foram demitidos.

Em nota, a Transpetro informou que desde o princípio das investigações, colabora com o Ministério Público Federal e encaminha todas as informações aos órgãos competentes.

Edição: Sâmia Mendes

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Educação

Em Alagoas, aulas presenciais de adultos serão retomadas dia 26

Cursos de todos os segmentos estão autorizados a funcionar: ensino superior, pré-vestibular, profissionalizantes, técnicos, de línguas estrangeiras e de formação para servidores públicos. O governador Renan Filho disse que vai avaliar o impacto da volta da educação adulta para definir qual será o caminho para crianças e adolescentes.

Baixar arquivo
Justiça

STJ suspende julgamento de recurso sobre concessão da Linha Amarela

Pedido de vista do ministro João Otávio de Noronha foi o motivo. Ele disse que foi procurado pelas defesas da prefeitura e da concessionária Lamsa e não conseguiu ouvir ambas a tempo. Único voto proferido até o momento foi o do relator, presidente do STJ, Humberto Martins.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Estudo revela que 70% das espécies em extinção podem ser salvas

Essa é a conclusão de um estudo inédito, liderado pelo pesquisador brasileiro Bernardo Strassburg, professor da PUC do Rio de Janeiro e diretor do Instituto Internacional para a Sustentabilidade.  A pesquisa, encomendada pela ONU,  Organização das Nações Unidas, contou com a participação de  27 pesquisadores de 12 países. Os resultados foram publicados na revista “Nature” na semana passada. 

Baixar arquivo
Educação

Falta de estrutura na segurança atrasam reabertura de escolas em SP

A falta de estrutura para garantir segurança está atrasando a reabertura de escolas em São Paulo.

Baixar arquivo
Saúde

Criança com AME recebe recursos para remédio mais caro do mundo

Medicamento custa R$ 12 milhões; Família conseguiu dinheiro após ganhar ação no STJ

Baixar arquivo
Economia

Em tempo de pandemia, práticas inovadoras fazem sucesso em vendas

Whatsapp, delivery e drive-thru alcançaram até quem não queria comprar

Baixar arquivo