Com covid-19, secretário de Educação do RJ fica em prisão domiciliar

Pedro Fernandes foi alvo da segunda fase da Operação Catarata

Publicado em sexta-feira, 11 Setembro, 2020 - 14:41 Por Raquel Júnia - Rio de Janeiro

O secretário estadual de Educação do Rio de Janeiro, Pedro Fernandes, foi preso na manhã desta sexta-feira (11) em uma operação do Ministério Público estadual e da Polícia Civil. Por ter apresentado, no momento da prisão, o exame confirmando que está com covid-19, a medida cautelar foi convertida de preventiva para domiciliar.

Fernandes foi um dos cinco alvos dos mandados de prisão preventiva da segunda fase da Operação Catarata, que investiga esquemas de corrupção na administração pública da capital e do estado do Rio na área de assistência social.

Também está com pedido de prisão preventiva em aberto a ex-deputada federal Cristiane Brasil. Os outros alvos são o empresário Flávio Salomão Chadud; o delegado da Polícia Civil e pai de Flávio, Mario Jamil Chadud; além do ex-diretor financeiro da Fundação Leão XIII, João Marcos Borges Mattos.

A operação cumpriu também seis mandados de busca e apreensão em endereços da capital.

De acordo com o Ministério Público, os esquemas irregulares investigados aconteceram entre 2013 e 2018 e deram origem a uma denúncia que incrimina no total 25 pessoas.

As investigações iniciaram com a detecção pela Controladoria Geral do Estado de fraudes em quatro pregões eletrônicos da Fundação Estadual Leão XIII, que é responsável por projetos de assistência social do governo fluminense.

Esses pregões teriam sido vencidos de maneira fraudulenta pela empresa Servlog Rio, para oferta de consultas oftalmológicas e distribuição de óculos para população de baixa renda.

Segundo o MP, foram encontradas fraudes em outros projetos assistenciais encabeçados pelo mesmo grupo em outros órgãos públicos, como a Secretaria Municipal de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida, na época gerida por Cristiane Brasil.

Antes de assumir a Secretaria de Educação e na época dos fatos apurados, Pedro Fernandes foi deputado estadual, secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, no governo de Sérgio Cabral e no governo de Luiz Fernando Pezão; e, posteriormente, secretário municipal de Assistência Social, já na gestão de Crivella à frente de Prefeitura.

Além da ServLog Rio, a denúncia envolve também outra empresa que participaria das fraudes a RIO MIX 10. O grupo criminoso teria pago propina a servidores e agentes políticos e utilizava empresas compostas por familiares, empregados e pessoas próximas, assim como organizações sociais, que entravam de “fachada” nos pregões.

O Ministério Público sustenta que a propina era paga na sede da Servlog Rio, em um shopping da Barra da Tijuca, em valores que variavam de 5 a 25% do valor pago pelo contrato. Os prejuízos das licitações fraudulentas somaram, de acordo com cálculo feito pelo Tribunal de Contas do Estado, mais de R$ 117 milhões.

Ainda de acordo com o Ministério Público, a denúncia é baseada em diversos depoimentos de testemunhas, em uma confissão de um investigado, mensagens telefônicas e cadernos de anotações contendo as informações das propinas apreendidos na 1ª fase da operação, além de extratos bancários e imagens de câmeras de vigilância.

Os denunciados são acusados de organização criminosa, fraudes licitatórias, peculato, corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de capitais, além do crime de embaraçar investigação.

Depois da prisão, a assessoria de imprensa do secretário Pedro Fernandes divulgou uma nota afirmando que sua defesa vinha pedindo acesso ao processo desde o final de julho, o que não foi atendido. A nota diz também que o secretário, que está indignado, sempre esteve à disposição para esclarecimentos mas nunca foi ouvido, e que só soube pela imprensa do que estava sendo investigado.

A ex-deputada Cristiane Brasil, que também é pré-candidata à Prefeitura do Rio pelo PTB, não foi localizada no Rio de Janeiro durante o cumprimento do mandado de prisão. Em nota, ela classificou a operação como uma tentativa de perseguição política a ela e ao seu pai, o também ex deputado federal Roberto Jefferson. Cristiane Brasil afirmou ainda que o Ministério Público e a polícia civil estão atuando de forma política e vingativa.

A defesa dos outros acusados não foi localizada até o fechamento desta reportagem.

Edição: Sâmia Mendes

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Justiça

STF decide que data de concurso pode ser alterada por motivo religioso

Após três sessões de julgamento, por 7 votos a 4, a Corte entendeu que as provas podem ser remarcadas para outra data que não conste no edital, desde que a mudança não cause prejuízos para a administração pública e à preservação da igualdade na seleção dos candidatos.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Prefeitura do Rio terá que criar repúblicas para jovens não adotados

Decisão é resultado de uma ação da Defensoria Pública do estado. Medida vai contemplar jovens que alcançam a maioridade antes de serem adotados ou não têm mais vínculo com suas famílias

Baixar arquivo
Geral

Itaí, cidade de 39 das 41 vítimas de acidente em SP, tem luto coletivo

O velório das vítimas, a maioria jovem, foi coletivo e ocupou dois ginásios de esportes. Cada família teve em média duas horas para se despedir das vítimas. Os sepultamentos duraram a madrugada inteira e terminaram na tarde dessa quinta-feira.

Baixar arquivo
Economia

Bolsonaro comemora criação de empregos apesar da pandemia

O presidente Jair Bolsonaro disse estar otimista para fechar o ano no positivo em relação à criação de empregos formais.

Baixar arquivo
Segurança

Homem é preso em flagrante no RJ por pornografia infantil

Um homem foi preso em flagrante nesta quinta-feira em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, por armazenar conteúdo de pornografia infantil em arquivos digitais.

Baixar arquivo