Mulheres negras e indígenas são 2,5% dos professores de pós-graduação

Pesquisa da UERJ quantificou desigualdade racial na ciência

Publicado em 22/11/2023 - 12:44 Por Cristiane Ribeiro - repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

O número de professores brancos em programas de pós-graduação nas áreas de ciências exatas, da terra e biológicas no Brasil é 12 vezes maior do que o de pretos, pardos e indígenas.

A desigualdade é ainda maior quando os dados de gênero são atrelados aos de raça. As mulheres pretas, pardas e indígenas são 2,5% do universo de professores.

No grupo majoritário, os homens brancos são 60,9% dos professores; enquanto as mulheres brancas somam 29,2%.

Estes primeiros resultados fazem parte do estudo “Diversidade Racial na Ciência”, que traz um retrato da desigualdade entre a presença de professores brancos, pretos, pardos e indígenas em programas de pós-graduação.

E esse levantamento está sendo feito pelo Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), em parceria com o Instituto Serrapilheira, uma instituição privada sem fins lucrativos.

De acordo com os pesquisadores, o foco da pesquisa nas ciências exatas e naturais se deu por serem áreas mais desiguais quando já observados outros fatores, como gênero.

A professora Márcia Rangel Cândido, do Instituto de Estudos Sociais da Uerj, que assina o estudo junto com o também professor Luiz Augusto Campos, defendeu mais inclusão e diversidade no corpo docente das pós-graduações. A declaração de Márcia Rangel foi durante o programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Os pesquisadores analisaram dados das áreas de astronomia/física, biodiversidade, ciência da computação, ciências biológicas, ciências exatas e da terra, geociências, matemática/probabilidade e estatística e química.

Segundo eles, a desigualdade racial nessas áreas de ensino fica flagrante quando se comparam essas proporções com a população brasileira. De acordo com o IBGE, os negros, que é a classificação que reúne pretos e pardos, representam 55,7% do total de brasileiros. Os indígenas são 0,83%. Dessa forma, os dois grupos ultrapassam 56% da população.

Edição: Leila dos Santos/Sumaia Villela

Últimas notícias
Cultura

Choro é reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil

Representado por músicas como Carinhoso, de Pixinguinha, e Brasileirinho, de Waldir Azevedo, entre tantas outras, o choro é um gênero genuinamente brasileiro. E, para o músico Marcio Marinho, talvez seja o gênero que "dê mais fisionomia" ao nosso povo

Baixar arquivo
Educação

MEC divulga lista dos pré-selecionados na segunda chamada do Prouni

O Ministério da Educação (MEC) divulgou neste sábado (2) a lista dos candidatos pré-selecionados na segunda chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni) de 2024. A lista está disponível no Portal Único de Acesso ao Ensino Superior.

Baixar arquivo
Economia

Zona Franca de Manaus terá R$1,2 bilhão em investimentos

A Zona Franca de Manaus vai receber mais de R$1 bilhão em investimentos. Esse montante é referente a 33 projetos que foram aprovados na última reunião do Conselho de Administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), liderada pelo presidente da República em exercício, Geraldo Alckmin.

Baixar arquivo
Economia

Mutirão do Desenrola Brasil reunirá mais de 700 empresas

Mais de 700 empresas participarão do mutirão de negociação de dívidas do programa Desenrola Brasil, que começa nesta segunda-feira (4). A iniciativa vai permitir que muita gente tenha mais facilidade para pagar seus débitos com bancos, financeiras, lojas varejistas, operadoras de telefonia, concessionárias de água e energia, e outros empreendimentos.

Baixar arquivo
Internacional

Estudo sugere que Brasil diversifique parcerias no setor de defesa

Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) sugere que o Brasil reduza o peso dos Estados Unidos no setor de defesa e aumente parcerias com outras potências.

Baixar arquivo
Saúde

Dia D mobiliza o país contra focos do mosquito transmissor da dengue

Hoje (2) é o Dia D de mobilização contra a dengue em todo o país. O mutirão nacional, realizado pelo Ministério da Saúde, reúne as três esferas de governo, e chama toda a população para reforçar as ações de prevenção e eliminação dos focos do mosquito transmissor da doença.

Baixar arquivo