Coronel que estava nos EUA é preso ao chegar em Brasília

Publicado em 12/02/2024 - 10:43 Por Priscilla Mazenotti - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Um dos alvos de mandado de prisão da Operação Tempus Veritatis, o coronel do Exército Bernardo Romão Corrêa, foi preso na madrugada desse domingo no Aeroporto de Brasília, vindo de voo dos Estados Unidos. Ele está preso no Batalhão da Guarda Presidencial.

E passou por uma audiência de custódia com juiz auxiliar do Supremo Tribunal Federal e agora cabe ao ministro Alexandre de Moraes decidir sobre a manutenção da prisão.

Vamos só contar um pouco a história dele: esse coronel estava em missão internacional em Washington desde dezembro de 2022. Ele é um dos quatro que tiveram mandado de prisão na quinta-feira (8) por envolvimento numa tentativa de golpe e abolição do Estado democrático de direito. As investigações mostram que o papel dele nisso tudo seria o de fazer reuniões e seleção de militares formados no curso de Forças Especiais (chamados de Kids Pretos) para atuar em tentativa de golpe. Ele é apontado como homem de confiança do Mauro Cid, o ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Assim que desembarcou, ele teve também o passaporte e o celular apreendidos pela Polícia Federal.

Ainda no âmbito dessa mesma Operação, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, recebeu a liberdade provisória. Ele tinha sido preso na quinta durante cumprimento de mandado de busca e apreensão por porte ilegal de arma. Foi encontrada com ele também uma pepita de ouro sem origem comprovada. Crime, aliás, que é inafiançável.

Valdemar Costa Neto deixou a Polícia Federal, mas vai ter de cumprir uma série de medidas cautelares sob pena de voltar para a prisão.

O argumento para a liberdade dele foi a idade, ele tem 74 anos, e, segundo a PGR, que emitiu parecer favorável à soltura, não há grave ameaça ou violência para a concessão da liberdade dele.

Ainda na sexta, um dia depois da operação, Moraes já tinha convertido a temporária em preventiva, que é quando não tem prazo para acabar, mas tinha pedido manifestação da PGR. A defesa alega que a pepita de ouro era de baixo valor e que a posse não configuraria um delito. Em relação à arma, os advogados afirmaram que ela pertenceria a um parente e estaria registrada.

 

Edição: Ana Lúcia Caldas/ Marizete Cardoso

Últimas notícias
Política

Há 92 anos as mulheres conquistavam o direito de votar no Brasil

No Brasil também há uma legislação que determina cota mínima de gênero para candidatura nas eleições legislativas. 

Baixar arquivo
Geral

Polícia Federal prende suspeito por tentar invadir Palácio da Alvorada

O presidente Lula estava dentro da residência oficial no momento no incidente 

Baixar arquivo
Direitos Humanos

MDHC rechaça fake news sobre tráfico de crianças na Ilha do Marajó

O Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania divulgou nota alertando para a propagação de fake news com denúncias sobre a exploração sexual e o tráfico de crianças na Ilha do Marajó, no Pará.

Baixar arquivo
Segurança

Agentes da Força Nacional reforçam buscas por fugitivos em Mossoró

Mais de 500 polícias de diversas forças compõem a força tarefa de buscas por Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento. Os dois usaram ferramentas de uma obra que era realizada no presídio para fugir. 

Baixar arquivo
Esportes

Justiça Desportiva pune Sport por ataque a ônibus do Fortaleza

A decisão do presidente do tribunal, José Perdiz, reconheceu que o Sport, como clube mandante da partida, não se comprometeu com a segurança dentro e fora do estádio. Yuri Romão, presidente do clube, lembrou de casos recentes de ataques a ônibus de adversários que não tiveram a mesma punição 

Baixar arquivo
Geral

Terminal Gentileza é inaugurado no Rio

O terminal vai conectar os serviços do mais novo corredor de BRT, o Transbrasil, com o VLT e linhas de ônibus municipais. O nome do terminal faz referência a José Datrino, o Profeta Gentileza, que ficou conhecido por pinturas com mensagens em colunas de viadutos no Rio

Baixar arquivo