Economista Maria da Conceição Tavares morre aos 94 anos

Portuguesa de origem, era referência do pensamento desenvolvimentista

Publicado em 08/06/2024 - 14:29 Por Leandro Martins - São Paulo
Atualizado em 08/06/2024 - 18:34

Morreu neste sábado (8), aos 94 anos, a economista Maria da Conceição de Almeida Tavares. Portuguesa de Aveiro, Conceição Tavares iniciou sua formação em Engenharia, na Universidade de Lisboa, se graduando depois em Matemática.

Em 1954, fugindo da ditadura salazarista, ela se mudou para o Brasil, onde iniciou a carreira como estatística no Instituto Nacional de Imigração e Colonização. Naturalizou-se brasileira em 1957 e, nesse mesmo ano, matriculou-se no curso de Economia da atual Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Sua carreira no país foi marcada pela passagem pelo  Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

Publicou vários livros que contribuíram para a formação de gerações de economistas. Em 1998 foi laureada com o Prêmio Jabuti pela reconhecida contribuição ao pensamento econômico no Brasil.

Conceição Tavares lecionou no Instituto de Economia da Unicamp, onde ajudou a implantar os cursos de mestrado e doutorado. E influenciou vários economistas e líderes políticos, entre eles José Serra, Luciano Coutinho, e Luiz Gonzaga Belluzzo. 

O professor William Baghdassarian, do IBMec Brasília, Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais, falou sobre o legado de Conceição Tavares:

Conceição Tavares também teve grande envolvimento político, sendo uma das mentoras econômicas do PMDB, no período pre-redemocrarização. A economista também influenciou a elaboração do Plano Cruzado, durante o governo Sarney e foi uma das vozes mais críticas do Plano Real. Na década de 1990, se elegeu deputada federal pelo PT do Rio de Janeiro.
Na conta pessoal do X, o presidente Lula registrou que Maria da Conceição Tavares foi uma economista que nunca esqueceu a política e a defesa de um desenvolvimento econômico com justiça social.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, ressaltou que Conceição deixa um legado rico, com sua crítica e sua defesa inegociável da justiça social. A ex-presidenta Dilma Rousseff, que também é economista, disse que receber com pesar a morte da amiga e disse que ela uma mulher brilhante e profundamente comprometida com a soberania Nacional. 

O presidente do BNDES Aloizio Mercadante, manifestou profunda tristeza a notícia pela morte da amiga e mestra, a quem definiu como a mais brasileira de todas as portuguesas. E acrescentou que o país perde uma gigante do pensamento brasileiro e mundial.

Edição: Tâmara Freire/Israel do Vale

Últimas notícias
Economia

Apoio financeiro RS: adesão para trabalhadores domésticos começa hoje

O pagamento equivalente a dois salários-mínimos vai ser efetuado pela Caixa Econômica Federal, conforme a data de adesão.

Baixar arquivo
Geral

Brasil é um dos destinos mais receptivos para turistas LGBTQIA+

É o que revelou uma pesquisa internacional, realizada em sete países, por uma multinacional responsável por uma rede de hotéis. Além do Brasil, México e Argentina também foram reconhecidos pela pesquisa como os países mais receptivos à comunidade. 

Baixar arquivo
Geral

Inmet prevê frio intenso no Sul do país nesse fim de semana

A previsão é de que, pelo menos até a próxima segunda-feira, as temperaturas mínimas fiquem entre 0 e 5ºC na região Sul.

Baixar arquivo
Saúde

Escoliose: 6 milhões de brasileiros sofrem com desvio na coluna

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a escoliose acomete cerca de 2% da população mundial e afeta desde crianças a idosos. 

Baixar arquivo
Cultura

Plataforma digital documenta diversidade do artesanato maranhense

O acervo traz 43 mil imagens, 200 vídeos e gráficos, além de um glossário exclusivo com os termos e medidas utilizados pelos artesãos. Mais de 2 mil povoados foram visitados para fazer o levantamento.

Baixar arquivo
Cultura

Exposição comemora 35 anos do CCBB Rio; um espaço, uma viagem no tempo

A riqueza histórica do prédio do Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro poderá ser conhecida em detalhes na exposição “Primeiro de Março 66: Arquitetura de Memórias” — que será inaugurada neste sábado (29), no próprio centro cultural, marcando as comemorações de 35 ano

Baixar arquivo