Tio suspeito de estuprar menina de 10 anos é preso

Publicado em terça-feira, 18 Agosto, 2020 - 16:02 Por Anna Luísa Praser - Brasília

Está detido o tio da menina de 10 anos, suspeito de ter cometido abuso sexual contra ela no interior do Espírito Santo. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado. 

O homem foi preso pela Polícia Civil de São Mateus (ES), na madrugada desta terça-feira (18), na região metropolitana de Belo Horizonte, e imediatamente levado de volta para o estado de origem.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, comentou o caso. Pela conta pessoal no Twitter, ele falou sobre a prisão, e desejou que essa situação "sirva de lição para quem insiste em praticar um crime brutal dessa natureza".

O caso ganhou repercussão depois da imprensa noticiar que a menina estava grávida, e que o principal suspeito do crime era o tio. A gravidez foi descoberta após exames realizados no hospital Roberto Silvares, em São Mateus.

Em conversa com médicos, a menina acabou admitindo que era estuprada pelo tio desde os seis anos de idade, mas que nunca revelou por medo das ameaças feitas por ele. 

A criança então ficou sob tutela de um abrigo público e foi submetida a um aborto legal. A interrupção da gestação, autorizada pelo Tribunal de Justiça do Espírito Santo, a pedido do Ministério Público do estado, tem previsão legal, já que é fruto de um estupro.

No entanto, a decisão causou revolta a alguns grupos, que se dirigiram à porta da clínica no dia marcado para o aborto, e de mãos dadas, chamavam de "assassino" o médico Moraes Filho, que realizou o procedimento. 

Pelo Facebook, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, lamentou a decisão da justiça em autorizar a interrupção da gravidez. 

Dom Fernando Saburido, arcebispo metropolitano de Olinda e Recife, lamentou o aborto e se solidarizou com os grupos de religiosos que protestaram contra o que ele classificou como "vergonhoso e lamentável acontecimento". 

A OAB de Pernambuco também se manifestou sobre o caso. Em nota, a instituição disse ter recebido com preocupação as informações das manifestações, e repudiou as ações que não visam preservar a criança vítima de violência e que não a ajudem a superar os traumas físicos e psicológicos decorrentes da violência sexual.

A entidade disse ainda estar solidária à menina, aos representantes legais e aos profissionais de saúde envolvidos no procedimento.

Edição: Ana Pimenta

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Educação

Enade: Estudantes de universidades públicas tiveram melhor desempenho

41,7% dos cursos com nota máxima (5)  são de universidades públicas, enquanto apenas 3,1% dos cursos de instituições privadas alcançaram a melhor avaliação

Baixar arquivo
Política

Votações na Câmara são adiadas para semana que vem

Sem acordo, sessão deliberativa marcada para esta terça-feira (20) foi cancelada

Baixar arquivo
Pesquisa e Inovação

Projeto institui marco legal das startups e empreendedorismo inovador

O Governo Federal encaminhou ao Congresso Nacional texto do projeto de lei complementar que "Institui o marco legal das startups e do empreendedorismo inovador".

Baixar arquivo
Justiça

Justiça do Rio bloqueia bens do ex-prefeito Eduardo Paes

A Justiça determinou o bloqueio de bens do ex-prefeito Eduardo Paes, candidato à prefeitura do Rio de Janeiro nas eleições deste ano.

Baixar arquivo
Saúde

Vacina contra a covid-19 será incluída no programa de vacinação

O Ministério da Saúde negocia a compra de 46 milhões de doses da vacina chinesa CoronaVac contra a covid-19. O medicamento é desenvolvido pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório Sinovac.

Baixar arquivo
Política

Justiça determina bloqueio de bens de João Doria

Governador de São Paulo é acusado de usar recursos da prefeitura em publicidade irregular. Total de bens bloqueados chega a R$ 29 milhões

Baixar arquivo