RJ: Justiça Militar começa a julgar acusados de matar músico e catador

Militares foram denunciados por homicídio qualificado

Publicado em 13/10/2021 - 16:48 Por Solimar Luz - Repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

Após três adiamentos, a Justiça Militar começou a ouvir as testemunhas de defesa dos 12 acusados de matar o músico Evaldo dos Santos e o catador de recicláveis Luciano Macedo.

A Justiça Militar vai analisar o que aconteceu em abril de 2019, quando 62 disparos de fuzil e pistola atravessaram o carro de Evaldo dos Santos, que estava a caminho de um chá de bebê com a família, em Guadalupe, zona norte do Rio.

Luciano Macedo também foi atingido quando tentava socorrer a família do músico. Ele chegou a ser levado para um hospital, mas morreu dias depois.

O caso aconteceu durante uma ação de patrulhamento do exército na área da Vila Militar, na capital fluminense. Os acusados chegaram a ser presos e falaram que realizavam uma perseguição policial e que houve troca de tiros.

Os militares foram denunciados junto à Justiça Militar da União por homicídio qualificado e omissão de socorro, já que não teriam prestado assistência às vítimas.

A viúva de Evaldo dos Santos, Luciana da Costa, passou mal e precisou ser atendida por uma equipe médica. Antes, no momento da entrada dos acusados no tribunal, ela disse esperar que a justiça seja feita.

Durante as alegações, a promotoria criticou a versão dos militares de que eles teriam agido em autodefesa. O Ministério Público Militar pediu a absolvição de quatro agentes que estavam na operação que terminou em tragédia, mas não atiraram, e a condenação de oito pelas mortes de Evaldo, Luciano e a tentativa de homicídio do sogro do músico, que também foi baleado, mas sobreviveu.

Edição: Vitória Elizabeth/ Renata Batista

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Saúde

Aeroporto de Confins (MG) concentra maiores amostras da covid-19

Na prática, os resultados dessa pesquisa, fornecem alertas dos riscos de aumento de incidência do vírus de forma regionalizada.

Baixar arquivo
Geral

Voo do 14 Bis completa 115 anos - um percurso que marcou a história

Naquele 23 de outubro de 1906, mais de mil pessoas, no Campo de Bagatelle, em Paris, olharam atônitas para cima. O brasileiro Alberto Santos Dumont tinha conseguido uma proeza: decolar, dirigir e pousar um avião. o “14 Bis” subiu dois metros do solo.

Baixar arquivo
Geral

Amapá decreta calamidade pública após salinização do rio Amazonas

Com o decreto, o governo local mobiliza todos os órgãos estaduais para atuarem sob o comando da Defesa Civil na região do Distrito do Bailique. O prazo do estado de calamidade pública é de 180 dias. Estima-se que cerca de 14 mil pessoas de 65 comunidades do arquipélago sejam afetadas pela salinização das águas e erosão das margens do Rio Amazonas.

Baixar arquivo
Segurança

TJRJ inaugura primeiro centro de atenção e apoio às vítimas de crimes

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro inaugurou nesta sexta-feira o primeiro Centro Especializado de Atenção e Apoio às Vítimas de Crimes e Atos Infracionais do país.

Saúde

Prevent Senior assina acordo de conduta com Ministério Público de SP

O Plano de Saúde deverá suspender o uso de medicamentos ineficazes do chamado kit covid, vai ter que publicar em jornais e portais da internet que nunca fez qualquer pesquisa científica para comprovar a eficácia desses medicamentos e está proibido de alterar o código de diagnóstico de covid de pacientes que morreram em decorrência de problemas provocados pela doença.

Baixar arquivo
Economia

Preço da carne no atacado cai, mas valor no varejo ainda continua alto

É que apesar das vendas estarem suspensas para a China, os produtores brasileiros tem guardado as carnes armazenadas em frigoríficos a espera de uma solução para o impasse. Ou seja, não aumentou a oferta do produto no mercado interno.

Baixar arquivo