Pesquisadores iniciam trabalho de campo para criar monitoramento de águas da Amazônia

Trabalho de campo

Publicado em 30/01/2020 - 16:09 Por Renata Martins - Brasília

Pesquisadores iniciam trabalho de campo para criar monitoramento via satélite do Estuário Amazônico.


Até dia 11 de fevereiro, 10 pesquisadores fazem a primeira expedição, que visa monitorar áreas alagáveis da Amazônia via satélite. Eles passarão por Macapá e Santana, no Amapá, seguindo até Santarém e Óbidos, no Pará.


O grupo vai coletar dados de vazão, medir a declividade dos rios e perfis de linha de água para validar os dados de satélites da Agência Espacial Francesa e da NASA.


O engenheiro cartógrafo do Serviço Geológico do Brasil, Daniel Moreira, explica que os novos pontos de monitoramento serão implementados principalmente em áreas muito afastadas de centros urbanos e em regiões fora do território brasileiro.


“A Bacia Amazônica é composta por outros países também. As águas que vem da Bolívia, da Colômbia e do Peru desaguam no território brasileiro. Com essa informação de satélite, a gente consegue prever se uma grande cheia está ocorrendo fora do país e se ela está caminhando para acontecer no nosso território”.


Daniel Moreira está nessa primeira excursão. Nesta quinta-feira, ele falou com a reportagem e destacou que o trabalho tem como objetivo melhorar a vida de populações ribeirinhas, inclusive as que moram em áreas urbanas.


“Quando uma cheia estiver ocorrendo na Bacia do Rio Madeira na Bolívia, a gente já vai saber que essa cheia vai estar acontecendo, e com antecedência a gente vai poder alertar os órgãos gestores para eles poderem dar apoio à sociedade. A população de Macapá, de Belém, são uma região de influência de efeito de maré e das águas que desaguam no Rio amazonas. Essa pesquisa visa justamente analisar a influência dos efeitos de maré para poder melhor dar uma resposta a eventos extremos, para tantas secas e cheias”.

 

De acordo com o Serviço Geológico do Brasil, todos os anos as populações que vivem próximas às margens do Estuário Amazônico são afetadas por inundações. Estima-se que, atualmente, 30% dos habitantes de Macapá e da capital paraense, Belém, estejam expostos a eventos hidrológicos extremos, como as inundações.


O estudo vai utilizar dados de satélite pelos próximos cinco anos para monitorar a extensão das enchentes na bacia amazônica.


O trabalho é desenvolvido pelo Serviço Geológico do Brasil e o Instituto de Pesquisa para o Desenvolvimento da França, e conta com a colaboração de universidades brasileiras, entre elas a Universidade Federal do Oeste do Pará.

Últimas notícias
Cultura

Em 30 de novembro de 1982, Michael Jackson lançava o álbum Thriller

Disco é citado até hoje como um dos melhores de todos os tempos e foi o álbum mais vendido no mundo, com cerca de 65 de milhões de cópias. Sucesso de público e de mídia, o trabalho rendeu oito Grammys. 

Baixar arquivo
Cultura

Professor da USP traduz cartas de indígenas no Brasil do século XVII

Cartas trocadas entre indígenas do Brasil em tupi antigo, em 1645, foram traduzidas pelo pesquisador e professor da USP, Eduardo Navarro. O contexto era o da disputa entre Portugal e Holanda por terras brasileiras, hoje, o estado de Pernambuco.

Baixar arquivo
Saúde

Estatuto do Câncer torna obrigatório atendimento integral

Dentre os objetivos do estatuto estão o diagnóstico precoce, a informação clara e confiável sobre a doença e o tratamento adequado, bem como humanização da atenção ao paciente e à sua família

Baixar arquivo
Saúde

Rio não tem registro de casos da variante Ômicron no estado

Secretaria de Saúde vai emitir um alerta às vigilâncias municipais para aumento da atenção a casos de viajantes que apresentem quadro de síndrome gripal, com realização de exame PCR, monitoramento e notificação por meio dos canais oficiais.

Baixar arquivo
Educação

Carreta leva artes, ciência e meio ambiente para a população do Rio

O Busão das Artes, com 15 metros de extensão, foi adaptado para receber experimentos interativos científicos e projetos de artes visuais e começou a circular pelas ruas e praças da cidade do Rio de Janeiro.

Baixar arquivo
Segurança

Polícia faz operação para capturar responsáveis por morte de sargento

A ação acontece em comunidades da zona norte do Rio. Os agentes procuram pelos criminosos envolvidos no assassinato do do sargento Jamilton Machado de Assis, atingido, em outubro, por um tiro na cabeça dentro de uma viatura.

Baixar arquivo