Universo: Experimento sobre digestão no espaço volta à Terra este mês

Nasa selecionou projeto de estudantes do Mato Grosso

Publicado em sexta-feira, 8 Janeiro, 2021 - 08:00 Por Dimas Soldi - São Paulo

Água, oxigênio, vida. É o que a curiosidade humana quase sempre busca no espaço. Mas, os estudantes do ensino médio de uma escola de Sorriso, no Mato Grosso, também querem saber como funciona a digestão da lactose em ambientes onde a gravidade é menor do que na Terra, como numa base espacial. Quem explica é o aluno Eduardo Felipe Pagnan Vieira.

“Um dia a gente teve aula de biologia com outra professora e a gente pensou, por que não trabalhar com esse tema. Até chegar nesse que é hoje, intolerância a lactose em microgravidade''

Para isso, os estudantes enviaram ao espaço um tubo separado em três partes. No primeiro tem água; no segundo, lactose, lactobacilos em pó e caldo de carne, para imitar o estômago humano; e no terceiro tem um bactericida.

Um astronauta conduzirá o experimento no espaço. A professora Michele Poleze explica como vai funcionar.

“A água é misturada junto com a lactose e as bactérias e o meio nutritivo, iniciando o experimento. Corta. Depois de 10 dias, o astronauta torna a interagir com nosso experimento. liberando o antibiótico que finaliza o experimento”

O experimento já está na Estação Espacial Internacional. Foi enviado por um foguete no dia 6 de dezembro, de uma base dos Estados Unidos.

De acordo com a aluna Karine Gabriella Ascoli, pode haver uma maior intolerância da lactose no espaço.

“A gente escolheu a lactose pq a gente acha que possa haver influência da baixa gravidade na degradação da lactose. a gente supõe que possa resultar numa intolerância. a gente quer entender se há alguma influência.”

O projeto brasileiro faz parte de um programa dos Estados Unidos, que leva experimentos de estudantes à estação espacial internacional. Tudo é chancelado pela Nasa, a agência espacial norte-americana. E o Brasil é o primeiro país fora da América do Norte a participar, como explica Lucas Fonseca, diretor da missão Garatéa, organização responsável pelo projeto.

Um dos objetivos do projeto é também estimular nos estudantes o interesse pela pesquisa espacial. A aluna Larissa de Oliveira Paes ficou empolgada.
''Pensar que tem algo que eu toquei com minhas mãos dentro de um foguete, lá, com astronautas que estudaram anos pra estar lá e é uma história que a gente vai poder contar pros nossos netos, nossos familiares, e até pras pessoas que acham que não conseguem fazer algo tão extraordinário com pouca idade, é muito incrível mesmo”

O foguete volta à Terra agora em janeiro, quando os alunos poderão analisar os resultados do experimento.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

INSS suspende atendimento do PREVBarco a comunidades do Amazonas

Com o agravamento da pandemia no Amazonas, o INSS resolveu suspender as missões dos chamados PREVBarcos, que são Unidades Móveis Flutuantes de atendimento à população ribeirinha e trabalhadores rurais.

Baixar arquivo
Justiça

Governo do AM terá que prestar informações sobre falta de oxigênio

Nessa terça-feira (19), a justiça determinou que o governo  do Amazonas devolva,  em 48 horas, 155 cilindros de oxigênio reabastecidos ao município de Coari. Em caso de descumprimento, a multa pode chegar até R$10 milhões.

Baixar arquivo
Saúde

Cuidados contra a covid-19 devem ser mantidos mesmo após vacina

A vacina contra a covid-19 começou a ser aplicada em todo o país. E junto com as doses, surgem algumas dúvidas: Os hábitos da população devem mudar após o início da vacinação? Quem já tomou a vacina pode transmitir o vírus? Em entrevista à Rádio Nacional, o diretor da Sociedade Brasileira de Infectologia do Distrito Federal, David Urbaez, explicou quais são os cuidados que devemos tomar.  

Baixar arquivo
Saúde

Por falta de insumo, Fiocruz adia entrega da vacina de Oxford

A Fiocruz adiou para março a entrega dos primeiros lotes da vacina desenvolvida em parceria com a universidade inglesa de Oxford e com a farmacêutica AstraZeneca. O motivo é o atraso na entrega do IFA, o Ingrediente Farmacêutico Ativo, pela AstraZeneca.

Baixar arquivo
Saúde

Vacinação na cidade do Rio continua amanhã apesar do feriado

Município comemora nesta quarta-feira (20) dia do padroeiro São Sebastião. Primeiro lote com mais de 115.000 doses de vacinas será destinado a profissionais de saúde e alguns grupos de risco.

Baixar arquivo