Regra especial para servidor da segurança pública é rejeitada por comissão da reforma

Reforma da Previdência

Publicado em 04/07/2019 - 22:55 Por Kariane Costa - Brasília

A Comissão Especial da Reforma da Previdência rejeitou os destaques que pediam regras especiais para servidores federais ligados à segurança pública, professores, guardas municipais e  peritos criminais.

 

A oposição tentou incluir uma das categorias, mas não teve sucesso e, com isso, ficou mantido o texto do relator.

 

Samuel Moreira, do PSDB, propôs para policiais idade mínima de 55 anos, 30 anos de contribuição e 25 anos na atividade para ambos os sexos.

 

Já para o restante dos trabalhadores, o relator propõe idade mínima de 65 anos para homem e 62 para mulher, com tempo de contribuição de pelo menos 20 anos para eles e 15 anos para elas.

 

No caso dos servidores públicos da União, o tempo de contribuição previsto é maior, de 25 anos. O texto principal aprovado reduz ainda de 60 para 57 anos a idade mínima para a aposentadoria de professoras que ingressaram no serviço público até 2003.

 

Do lado de fora do plenário, muito protesto de categorias que ficaram de fora de regras especiais. O líder do governo, major Victor Hugo, do PSL, reforçou que não houve acordo entre os líderes partidários para aprovar o trecho que beneficiava servidores da segurança. Mas afirmou que o partido vai continuar conversando para apresentar uma emenda restituindo a aposentadoria diferenciada para a categoria, na votação do plenário.

 

Em reunião com parlamentares e ministros, nessa quinta-feira (4), no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro pediu apoio dos deputados para reivindicações dos policiais na reforma da Previdência.

 

O líder da oposição, Alessandro Molon, aposta na votação do plenário para fazer mais mudanças no texto. Mesmo com a derrota na Comissão Especial, ele acredita que houve avanços.

 

Já o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, comemorou a aprovação na Comissão especial e disse que está otimista para que a matéria seja aprovada no plenário na próxima semana, antes do recesso parlamentar.

 

A Comissão Especial aprovou, por unanimidade, a retirada da aplicação, a policiais militares e bombeiros militares, das regras de transferência para inatividade e pensão por morte dos militares das Forças Armadas, até que uma lei complementar local defina essas regras.

Últimas notícias
Economia

Setor de serviços cresce 0,7% na passagem de maio para junho, diz IBGE

Com isso, se encontra 7,5% acima do nível pré-pandemia, de fevereiro de 2020, mas ainda 3,2% abaixo do ponto mais alto, conquistado em novembro de 2014.

Baixar arquivo
Saúde

Ingerir álcool durante a gravidez pode causar síndrome alcoólica fetal

Mesmo que seja baixa a quantidade de álcool ingerida pela futura mãe, ainda existe o risco da doença,  que pode trazer consequências gravíssimas para o feto e recém-nascidos.

Baixar arquivo
Economia

Quase metade dos brasileiros fazem "bicos" para ampliar renda

Pesquisa aponta que quase q metade dos brasileiros com 16 anos de idade ou mais precisaram fazer atividades extras nos últimos 12 meses para complementar sua renda.

Baixar arquivo
Saúde

Maranhão registra primeiro caso de varíola dos macacos

O paciente, um homem de 42 anos, com comorbidades, está internado com quadro clínico estável.

Baixar arquivo
Economia

IBGE prevê safra recorde de 263,4 milhões de toneladas em 2022

O Brasil deve produzir, em julho, 263 milhões e 400 mil toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas. Um recorde! A estimativa está no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgado nesta quinta-feira pelo IBGE.

Baixar arquivo