Em ano eleitoral, Congresso tem o desafio de movimentar temas estruturais e polêmicos

Congresso Nacional

Publicado em 02/01/2020 - 07:13 Por Lucas Pordeus León - Brasília

2020 é ano de eleições; e os próprios deputados e senadores reconhecem que a partir de julho as atividades do Congresso ficam comprometidas porque o pleito nos municípios mobiliza os partidos.

 

Por isso, as lideranças defendem que as pautas mais importantes sejam votadas logo no primeiro semestre; e a prioridade deve ser a reforma tributária.

 

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, destaca ainda a reforma administrativa; a proposta de prisão em 2ª instância; e o projeto de autonomia do Banco Central.

 

O presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre, ressalta a comissão mista criada para discutir a reforma tributária, que une os dois projetos em tramitação, o da Câmara e o do Senado.

 

O governo federal, que iria enviar um projeto de reforma tributária, decidiu aproveitar a discussão em andamento e deve apresentar as sugestões diretamente a comissão formada para elaborar a proposta.

 

O líder do governo na Câmara, o deputado Vitor Hugo, do PSL, informou que, para além da pauta econômica, o governo espera avançar em outros assuntos.

 

O líder do governo reconhece, contudo, que os projetos precisam andar no primeiro semestre, por conta das eleições municipais de outubro.

 

Nesses poucos meses, a presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Simone Tebet, do MDB, defende que a pauta econômica deve prevalecer; e acredita que a unificação de impostos e a desburocratização tributária representa 70% da reforma.

 

Já a oposição apresentou um projeto de reforma tributária e espera convencer a maioria a reduzir tributos para uns e aumentar impostos para outros, como explicou o líder da oposição na Câmara, o deputado Alessandro Mollon, do PSB.

 

O líder da oposição ainda cita projetos para preservar o meio ambiente e a reformulação do Fundeb, o Fundo da Educação Básica, como prioridades do bloco oposicionista. A lei do Fundeb vence neste ano (2020?); e, se não for aprovada uma nova lei, o Fundo – que é o principal mecanismo de investimento na educação básica – será extinto.

 

Também defende a aprovação dos temas mais urgentes no primeiro semestre do ano o líder da Maioria da Câmara, o deputado Aguinaldo Ribeiro, do PP paraibano, que lidera o maior bloco da casa. Ele também inclui pautas sociais como prioridade, ao lado dos projetos econômicos.

 

A chamada pauta social foi apresentada em novembro pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que deu a coordenação da pauta para a deputada do PDT de São Paulo, Tábata Amaral. Entre os projetos, está o que pretende ampliar o Bolsa Família, com a inclusão do programa na Constituição Federal.

Últimas notícias
Geral

PF investiga suspeitos de crimes e fraudes contra a Previdência Social

Os agentes cumprem nove mandados de busca e apreensão e dois de prisão preventiva, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Baixar arquivo
Geral

Brasil produziu 700 mil toneladas de chocolate em 2021

No Dia Mundial do Chocolate (06) é importante dizer que a iguaria não é só muito gostosa. Também oferece benefícios à saúde, se consumido com moderação.

Baixar arquivo
Economia

Pesquisa da CNC aponta que população brasileira está menos endividada

O percentual de endividados registrou, em junho, o segundo recuo seguido após alta recorde da série histórica em abril deste ano.

Baixar arquivo
Justiça

PF realiza três operações contra garimpo ilegal de ouro no Brasil

As investigações da Operação Ganância começaram em fevereiro de 2021 após uma denúncia envolvendo empresas de Porto Velho, capital de Rondônia, do ramo da saúde, com acusações de lavagem de dinheiro e licitações fraudulentas ligadas ao garimpo irregular na região. 

Baixar arquivo
Economia

Trabalhador gasta em média R$ 40 para almoçar fora de casa

Valor cresceu 17,4% em relação ao período pré-pandemia, em 2019. Os dados são da Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador.

Baixar arquivo
Cultura

Cem anos do rádio no Brasil: a Rádio Bandeirantes

Na década de 1950, a Rádio Bandeirantes foi a primeira emissora do país a ter transmissão ininterrupta 24 horas por dia e, na década de 1990, foi a primeira a realizar transmissões via satélite.

Baixar arquivo