Maioria das mulheres negras ativistas atua diretamente no enfrentamento à pandemia

Estudo

Publicado em 12/06/2020 - 11:10 Por Raquel Júnia - Rio de Janeiro

Mulheres negras podem e devem decidir os rumos da política e da sociedade. A afirmação parece óbvia, mas diante do racismo e da invisibilidade, esse é o alerta de um relatório que procurou identificar, conhecer e colocar em evidência quem são e quais são as soluções apontadas pelas ativistas negras, que, mesmo durante a pandemia, continuaram provocando debates e mudanças em suas localidades.


O estudo, inédito, produzido em parceria pelo Instituto Marielle Franco e o Movimento Mulheres Negras Decidem, ouviu 245 ativistas de todas as regiões do país sobre como estão atuando e as perspectivas para sua inserção nos debates políticos.


A diretora-executiva do Instituto Marielle Franco, Anielle Franco, destaca que a pesquisa reforçou que as mulheres negras assumiram a dianteira em ações de enfrentamento à Covid-19.


O estudo mostrou que mais de 90% das entrevistadas tem nível superior e, apesar disso, estão na baixa renda. 57% delas têm orçamento familiar de até três salários mínimos.


60% delas fazem parte de coletivos ou organizações de mulheres negras. Foram identificados 130 coletivos diferentes. 69% das ativistas organizadas atuam em ações diretas de enfrentamento à pandemia, tanto nas capitais quanto no interior do país.


13% já foram candidatas em eleições municipais ou estaduais.


Apesar de estarem na linha de frente, inclusive em partidos, as entrevistadas mostraram que se deparam com estereótipos sobre a sua militância, o engessamento das instituições e a violência política, o que, segundo Anielle Franco, acaba pesando na decisão de concorrer a um cargo eletivo, por exemplo.


O relatório traz recomendações aos próprios movimentos, às organizações filantrópicas e aos tomadores de decisão do sistema político para o fortalecimento da representatividade das ativistas negras.


Entre os apontamentos está a destinação de recursos para a manutenção e sustentabilidade dos trabalhos desenvolvido por elas e, para os partidos, Congresso e Judiciário, a necessidade de condicionar parte do financiamento público de campanhas a metas objetivas de promoção a participação de mulheres negras.


O estudo mostra ainda que as ativistas têm soluções para o pós-pandemia e suas preocupações são universais, como a necessidade de fortalecimento da saúde e educação públicas, renda básica, garantia de direitos dos povos tradicionais, fortalecimento da legislação trabalhista, entre outros.


O relatório convida, por fim, a sociedade a seguir os passos das mulheres negras. O estudo completo pode ser baixado no site paraondevamos.org.

Últimas notícias
Economia

Carlos França afirma que entrada do Brasil na OCDE trará investimentos

O ministro das relações exteriores, Carlos França afirmou que a entrada do Brasil na OCDE vai ajudar a trazer investimentos estrangeiros e criar um ambiente de negócios favorável ao país.

Baixar arquivo
Saúde

Boletim da Fiocruz aponta aumento de casos de covid em todo o país

São 25 unidades da federação que apresentam ao menos uma macrorregião de saúde com nível de casos semanais de Síndrome Respiratória Aguda Grave considerado muito alto ou extremamente alto. 

 

Baixar arquivo
Saúde

Hospitais federais do RJ vão receber mais 1.700 profissionais de saúde

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro tem cobrado a realização de concursos públicos para substituir de forma definitiva os profissionais que atuam com contratos temporários.

Baixar arquivo
Política

Voo com 211 brasileiros deportados dos EUA chega ao Brasil

Coordenadoria da Infância e Juventude do TJ-MG informou que 90 crianças que desembarcaram do voo humanitário estavam acompanhadas por pelo menos um responsável com vínculo biológico e que nenhuma precisou ir para abrigos.

Baixar arquivo
Geral

Trotes para serviços de emergência viram multa no Acre

Nos últimos três anos, o Acre registrou mais de 15 mil trotes. E esse não é um problema que atinge somente os serviços de urgência no estado.

Baixar arquivo
Economia

Aumento de contaminações por covid desacelera crescimento do turismo

A onda da pandemia de covid-19 provocada pela variante ômicron fez com que destinos turísticos muito procurados no país tivessem redução na oferta de voos diários ao longo do mês de janeiro.

Baixar arquivo