Acre autoriza médicos formados no exterior a atuarem durante pandemia

Publicado em 07/07/2021 - 19:10 Por Maíra Heinen - Brasília

No Acre, foi publicada nesta semana uma lei estadual que permite a contratação de profissionais formados em medicina no exterior sem a revalidação do diploma. O governador Gladson Cameli (PP) chegou a vetar dois artigos, mas os vetos foram derrubados pela Assembleia Legislativa do Estado. Agora o Conselho Regional de Medicina deve acionar a Justiça, porque segundo a entidade, a Lei é inconstitucional.

A legislação brasileira determina que só podem se registrar nos Conselhos Regionais de Medicina e atuar como médico no Brasil pessoas que se formam em solo pátrio, ou que passem pelos devidos processos de revalidação.

Para o assessor jurídico com CRM do Acre, Mário Rosas, trata-se de uma ação política. Segundo ele, a ação também fere a Lei de Diretrizes Básicas da Educação.

De acordo com a Lei estadual 3.748, a medida vale enquanto durar o estado de emergência em saúde pública por causa da pandemia da Covid-19. Entre as justificativas para a norma está o déficit de profissionais médicos nos municípios acreanos.

A Lei estadual dá prioridade para médicos brasileiros formados no exterior que não prestaram o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas – Revalida, e que possuem experiência comprovada no Programa Mais Médicos. E também, para médicos estrangeiros formados no exterior, que não realizaram o Revalida.

De acordo com o CRM do Acre, no estado já são 55 ações relacionadas ao tema desde o ano passado, sendo que a maioria possui decisões liminares negadas e outras já com sentença transitada em julgado.

A reportagem procurou o governo do Acre, que preferiu não se manifestar. Já o INEP, instituto responsável pelo Revalida, explicou que a aprovação nas duas etapas da avaliação – prova escrita e de habilidades - é um demonstrativo da competência técnica do médico graduado para o exercício profissional. Lembrou ainda que o Ministério da Educação e o Inep são os únicos responsáveis pela execução legal do Revalida e que nenhuma outra instituição está autorizada a realizar exame nacional para a revalidação de diplomas estrangeiros de medicina.

 

Edição: Leila Santos / Guilherme Strozi

Últimas notícias
Pesquisa e Inovação

Fiocruz celebra 122 anos com histórias de sucesso e projetos de futuro

Em 122 anos a fundação cresceu e está presente em todas as cinco regiões do Brasil, com núcleos em dez estados, além do Distrito Federal e ainda tem parcerias com instituições científicas de 50 países.

Baixar arquivo
Saúde

Amazonas: Oftalmologia Humanitária realizará cirurgias e doará óculos

Os moradores dos municípios de Barcelos, Santa Isabel e Novo Airão, no Amazonas vão receber atendimentos oftalmológicos de graça a partir deste domingo até o dia 7 de junho.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

ONU pede investigação "célere e completa" sobre morte em ação da PRF

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, morreu depois de ser colocado por agentes da PRF dentro de uma viatura de onde saía muita fumaça. O IML de Sergipe identificou de forma preliminar a causa da morte como asfixia..

Baixar arquivo
Geral

Ao menos 33 pessoas morrem por causa das chuvas em Pernambuco

Uma única ocorrência neste sábado causou 19 óbitos: um deslizamento de barreira em uma comunidade na zona sul do Recife.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Dia da Dignidade Menstrual alerta para falta de acesso a itens básicos

Este sábado (28) é o Dia Internacional da Dignidade Menstrual, data que chama a atenção para a urgência de se garantir o acesso a itens de higiene, infraestrutura adequada e informação.

Baixar arquivo
Economia

Por liminar, justiça suspende demissões na Caoa Chery em Jacarei - SP

Segundo decisão da justiça do trabalho as dispensas coletivas precisam de prévia negociação considerando o impacto social que causam. A empresa tem prazo de cinco dias para o cumprimento da medida sob pena de multa de R$ 50 mil por dia. 

Baixar arquivo