Maio Furta-cor quer chamar a atenção para a saúde mental materna

Marcha no Dia das Mães é uma das ações da campanha

Publicado em 07/05/2022 - 08:03 Por Raíssa Novaes - repórter da Rádio Educadora FM para a Rádio Nacional - Salvador

No mês de maio, uma causa ganha visibilidade: a saúde mental materna. Com o nome Maio Furta-cor, a campanha surgiu no ano passado com a ideia de dar mais atenção ao sofrimento mental de mulheres com a extensa demanda da maternidade.

A psicóloga Ana Brandino fala sobre o estigma da saúde mental e o aumento da depressão e ansiedade entre as mães.

“Pela Organização Mundial da Saúde, a saúde mental contempla um estado de bem-estar, em que o indivíduo vai perceber suas próprias habilidades, vai saber lidar com as adversidades do cotidiano e ele é capaz de contribuir com a comunidade. Apesar desse conceito, de a gente saber que as adversidades existem, há muito preconceito sobre o termo saúde mental, principalmente quando a gente pensa na saúde mental materna. E o que chama nossa atenção é o aumento dos casos de depressão, ansiedade e até suicídio nas nossas mulheres no pós-parto”.

A psicóloga Yunna Bamberg destaca que apenas há pouco tempo tem se falado em maternidade real, exaustão e dificuldades vividas por quem, ao contrário do que muita gente pensa, não nasce pronta para assumir esse papel. Segundo ela, maio foi o mês escolhido para tratar do assunto porque é quando comemoramos o Dia das Mães. Essa é uma forma de dar outro tipo de visibilidade para essas mulheres.

“O Maio Furta-cor vem para questionar: o que temos a comemorar? Na nossa história, as mulheres têm tido muitas responsabilidades, elas sendo quase todas direcionadas à pessoa que gera. A isso se juntam as outras responsabilidades profissionais, tornando a maternidade uma coisa muito mais pesada do que se a gente tivesse engajamento social real”.

Segundo Bamberg, a pandemia só reforçou todas essas questões vivenciadas pelas mães.

“A gente já tinha essas questões, mas agora elas foram colocadas em uma lupa. Ficou muito claro. E a gente teve um adoecimento social de forma geral, por causa da pandemia, de todos esses processos que a gente tem passado, de empobrecimento da população, perda de direitos. E aí, juntando com a sobrecarga que já havia, deu um boom de burnout materno, depressão”.

A Marcha Furta-cor acontece em diversas cidades do Brasil no dia 15 de maio, a partir das 9h. Os demais eventos relacionados ao Maio Furta-cor, mês dedicado à causa da saúde mental materna, podem ser conferidos no site da campanha e no Instagram @Maesnofoco_oficial

Edição: Rádio Nacional/ Sumaia Villela

Últimas notícias
Justiça

TSE restringe uso da inteligência artificial nas eleições de 2024

A norma veta o deepfake e cria restrições ao uso de inteligência artificial. Fica restrito também o uso de chatbots para substituir pessoas reais nas ações de campanha.

Baixar arquivo
Saúde

Dia D nacional para combater a dengue será realizado neste sábado

Conscientizar o país sobre medidas de prevenção e eliminação do mosquito Aedes aegypti. Essa é ideia do Dia D de Mobilização Nacional Contra a Dengue, que acontece dia 2 de março.

Baixar arquivo
Cultura

CCBB RJ recebe mostra Hiromi Nagakura até a Amazônia com Ailton Krenak

A exposição será inaugurada nesta quarta-feira (28), com 160 fotografias inéditas de Nagakura, realizadas entre 1993 e 1998, explorando territórios e etnias da Amazônia junto com o escritor e ativista indígena brasileiro.

Baixar arquivo
Política

Comissão aprova imunidade tributária para entidades religiosas

O texto aprovado amplia a isenção para creches, asilos, comunidades terapêuticas, monastérios, seminários, conventos, entre outras instituições ligadas a entidades religiosas.

Baixar arquivo
Segurança

Diminui o número de policiais no Brasil nos últimos dez anos

Estudo do Fórum Brasileiro de Segurança Pública revela que as forças policiais estaduais encolheram 6,8% no caso da Polícia Militar e 2% no caso da Polícia Civil. 

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Bolsonaro presta depoimento na PF sobre importunação a uma baleia

O caso ocorreu em junho do ano passado, quando o ex-presidente se aproximou de uma baleia jubarte com jet ski, no litoral paulista. 

Baixar arquivo