OMS estima que haverá 700 milhões de pessoas obesas em 2025

Adultos acima do peso somarão 2,3 bilhões ao redor do mundo

Publicado em 04/03/2024 - 08:20 Por Fabiana Sampaio, repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

Dia 4 de março é o Dia Mundial da Obesidade, data de conscientização sobre essa doença que cresce a cada ano. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, em 2025, 2,3 bilhões de adultos ao redor do mundo estarão acima do peso, sendo 700 milhões de indivíduos com obesidade.

No Brasil, dados de 2006 da pesquisa Vigitel, do Ministério da Saúde, mostraram que um em cada 10 adultos viviam com obesidade. Treze anos depois, em 2019, a proporção dobrou para 2 em cada 10 adultos.

Ainda com base nessa pesquisa, um estudo da Universidade Federal de Minas Gerais apontou aumento dos casos de obesidade e sobrepeso entre pessoas idosas. As maiores taxas foram observadas em homens com idades entre 70 a 79 anos.

A diretora da Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica, Cynthia Valério, explica que com o envelhecimento há uma tendência de se perder massa muscular, muitas vezes, sem ganho importante de peso corporal, mas com acúmulo de gordura na região abdominal. Condição que, segundo ela, pode indicar maior chance de complicações relacionadas à obesidade, mesmo com peso corporal normal ou pouco alterado.

A especialista alerta, ainda, para o risco do consumo de ultraprocessados, que também está diretamente relacionado ao acúmulo de gordura abdominal e aumento das taxas de obesidade.

Para Cynthia Valério, uma das possíveis maneiras de conter o consumo excessivo de ultraprocessados seria sobretaxar esses produtos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, ela é caracterizada pelo excesso de gordura corporal depositada em diferentes partes do corpo. A obesidade é uma doença complexa, influenciada por fatores genéticos, ambientais e psicológicos, e não simplesmente resultado de escolhas pessoais ou falta de vontade.

Uma das formas de realizar o diagnóstico é por meio do cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC). A especialista Cynthia Valério afirma que o IMC é extremamente importante pela praticidade com que ele pode ser aplicado para avaliar a população em geral, mas reforça que também deve ser feita uma avaliação individual, caso a caso. Isso porque podem existir variações relacionadas à idade, gênero, condição metabólica e status hormonal.

Edição: Daniel Ito/ Fabíola Sinimbú

Últimas notícias
Saúde

Mudanças climáticas agravam riscos de trabalhadores, diz OIT

Para a Organização Internacional do Trabalho, inúmeras condições de saúde dos trabalhadores estão associadas às mudanças climáticas, incluindo câncer, doenças vasculares, respiratórias, renais e de saúde mental.

Baixar arquivo
Economia

Governo lança programa de crédito e renegociação de dívidas

Uma das ações permite que microempreendedores individuais e pequenos e médios empresários negociem as dívidas e consigam crédito para melhorar os negócios.

Baixar arquivo
Justiça

STF dá 5 dias para X se manifestar sobre descumprir ordens judiciais

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes deu um prazo de cinco dias para que os representantes da rede social X, antigo Twitter, se manifestem sobre descumprimentos de ordem judicial nos perfis de contas bloqueadas na plataforma.

Baixar arquivo
Saúde

Saúde óssea depende de exercícios regulares, defende médico do INTO

Além de provocar sensação de bem-estar, elevar a autoestima e trazer melhorias para as relações sociais, a prática regular de atividade física tem um papel fundamental para a saúde óssea e muscular.

Baixar arquivo
Saúde

Pesquisadores desenvolvem fármacos para tratamento de doenças crônicas

Pesquisadores brasileiros investem em pesquisa e na produção de novos fármacos, que podem ajudar no tratamento de pacientes que lutam contra doenças crônicas.

Baixar arquivo
Geral

Empresa eólica é condenada a pagar indenização a morador do RN

Empresa dona de parque eólico no interior do Rio Grande do Norte é condenada a pagar indenização de R$ 50 mil por danos morais para um morador da região de Serra de Santana, a cerca de 200 km da capital do Estado, Natal.

Baixar arquivo