“É preciso estar aqui”, amor por Maradona supera temor de covid-19

Estimativas são de que velório reúne mais de 1 milhão de pessoas

Publicado em 26/11/2020 - 16:42 Por Maximilian Heath e Eliana Raszewski - Repórteres da Agência Brasil - Buenos Aires

O velório de Diego Armando Maradona, que alguns estimam que pode reunir 1 milhão de pessoas na Casa Rosada, sede do governo argentino em Buenos Aires, deixou claro que o carinho pelo astro do futebol supera o temor de contágio pelo novo coronavírus (covid-19) em meio à pandemia.

A Argentina é um dos países que registraram uma das maiores taxas de contágio de covid-19 na região, com 1.390.388 casos e 37.714 mortes até a última quarta-feira (25), e impôs uma das maiores quarentenas do mundo.

Dezenas de milhares de pessoas, muitas delas sem máscara, engrossavam uma longa fila sem distanciamento social para entrarem na Casa Rosada e se despedirem de Maradona, que morreu na quarta-feira de insuficiência cardíaca aos 60 anos.

Veja momentos marcantes na história de Maradona:

“É preciso estar aqui. Não havia forma de isto não acontecer. De alguma maneira isto é Maradona também, violando uma regra”, declarou Marcelo Gades, de 52 anos, que esperava pelo velório com uma rosa na mão, em referência ao espírito rebelde e transgressor do ídolo.

“A Argentina é Maradona, e Maradona é a Argentina, com tudo de bom e de mau”, afirmou.

A histórica Praça de Maio, que está diante da Casa Rosada, ficou cheia de torcedores, que desde a noite da última quarta foram lhe dar adeus, portando camisas e bandeiras argentinas e bradando constantemente “olé, olé, olé, olé, Diego, Diego”.

A despedida provocou críticas nas redes sociais, já que em meados de março o governo impôs uma quarentena que também limitou a quantidade de pessoas que podem acompanhar velórios e enterros para conter o novo coronavírus.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias