Polícia Civil do Rio doa CDs apreendidos para projeto socioambiental

Publicado em 17/07/2014 - 15:30 Por Da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Alunos que participam da capacitação profissional com foco em sustentabilidade de 13 comunidades, em sua maioria com a presença da Unidade de Polícia Pacificadora, se formaram hoje (17) nos projetos Fábrica Verde, EcoModa e EcoBuffet, da Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro. A solenidade ocorreu no Teatro João Caetano, no centro, com a formação de 582 alunos, e contou com a doação de 200 mil CDs e DVDs piratas apreendidos pela Polícia Civil para serem reutilizados no projeto.

Os projetos socioambientais são destinados a moradores em situação de vulnerabilidade social. O Fábrica Verde capacita profissionais em montagem e manutenção de equipamentos de informática, a partir de lixo eletrônico, já o EcoBuffet ministra aulas de culinária com técnicas de aproveitamento total dos alimentos. Já o EcoModa oferece qualificação em moda sustentável.

A aluna Ângela Maria da Silva Muniz, de 61 anos, que fez o curso no EcoModa Mangueira, pretende produzir as próprias peças para vender. "Lá eu aprendi a fazer bolsa, colar, costurar, estampar, bordar. Esse curso foi muito bom, aprendi muito e vou começar a produzir as minhas peças em casa para vender. Resolvi fazer o curso porque me aposentei, e só ficava naquele processo de atividade física. Pensei em aproveitar o tempo vago para aprender alguma coisa de bom, que vai me dar futuro. Valeram a pena esses cinco meses de curso", contou.

O projeto da Fábrica Verde é desenvolvido nas comunidades da Chacrinha, Vila Kennedy e Jardim Bangu. O EcoModa tem cursos em São Gonçalo, Cordovil, Guapimirim, Paracambi e na Mangueira. O programa do EcoBuffet, é realizado em São João de Meriti, Copacabana, Anchieta, Jacarezinho e também na Chacrinha. De acordo com o secretário estadual do Ambiente, Carlos Portinho, o objetivo é levar o projeto para o interior do estado.

"Hoje a gente reúne os três projetos na formação dos alunos e também na apresentação do trabalho deles, o que mostra que essas ações tem exito, tanto é que estamos expandindo e triplicamos o número de comunidades atendidas”, disse acrescentando que “ vamos  chegar ao interior do estado ou pelo menos nas principais regiões, criando polos para que essas atividades sejam iniciadas, capacitando várias pessoas, e futuros profissionais que vão ter oportunidade no mercado de trabalho".

A Polícia Civil conseguiu uma autorização do Poder Judiciário para doar cerca de 200 mil CDs e DVDs piratas apreendidos em uma só ação da Delegacia de Repressão a Crimes contra a Propriedade Imaterial em abril deste ano para o projeto EcoModa. Segundo a delegada titular, Barbara Bueno, o objetivo é tentar reciclar os produtos que seriam inutilizados.

"É a primeira vez que a polícia vai dar esse tipo de destinação de material apreendido de crime. Tira o produto do crime gerando uma perda para o criminoso, e depois destina a um projeto socioambiental dessa relevância, disse.

“É um marco para polícia, é um símbolo muito forte de atuação da polícia em qualquer ação que contribui para a segurança pública.  A polícia deve permanecer engajada a esse tipo de projeto. Não tem que fazer só a repressão tem que estar engajada na prevenção", contou Bueno.

“Para a  Polícia  Civil esse projeto era tudo que a gente queria. A nossa parceria tem muito futuro. Acho que a Polícia Civil tem interesse e vai acabar firmando esse convênio com outras delegacias que  poderão  também doar os produtos apreendidos”, disse a delegada.

Edição: Valéria Aguiar

Últimas notícias