Com estiagem, região metropolitana do Rio sofre com falta d'água

Publicado em 18/10/2015 - 17:20 Por Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Alguns bairros das cidades de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, na região metropolitana do Rio de Janeiro, além da Ilha de Paquetá, bairro da cidade do Rio de Janeiro que fica na região nordeste da Baía de Guanabara, enfrentam falhas no fornecimento de água desde a semana passada.

Segundo a professora Maria Valdívia, moradora do bairro de Paraíso, em São Gonçalo, desde quarta-feira (14) não chega água em sua casa. “Está cruel isso aqui. Estamos fazendo economia de guerra, tentando gastar o mínimo possível, chuveiro abrir bem devagarzinho, hoje que eu coloquei roupa para lavar e estou reaproveitando a água que sai da máquina".

A moradora relatou que hoje (18) a água voltou, mas ainda sem regularidade. Ela diz que não houve aviso oficial aos moradores afetados, nem quando o fornecimento foi interrompido nem sobre o retorno. “Esse aviso não foi bem divulgado não, deveria ter sido divulgado pelas redes de televisão, chamando o tempo todo, porque quando eles querem, eles fazem uma coisa mais enfática. Lógico que todo mundo precisa ter consciência, mas não adianta um ter consciência para não gastar água e a água estar jorrando na rua. Desde quarta que está sem água, hoje voltou, mas a gente não sabe até quando vai ficar”.

Em São Gonçalo, há relato de falta d'água em bairros como Mutuá, Alcântara e Boa Vista. Em Niterói, moradores de bairros mais nobres como São Francisco e Icaraí, na zona sul da cidade, e Piratininga e Itaipu, na região oceânica, não relataram falha no abastecimento.

De acordo com nota divulgada, na sexta-feira (16), pela Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae), a falta de chuvas baixou o nível dos rios Guapiaçu e Macacu, que alimentam o sistema Imunana-Laranjal, que fornece água para essa região.

“Nos últimos dias, a vazão desses rios reduziu drasticamente obrigando a execução de manobras operacionais excepcionais. Contudo foi necessário diminuir a produção de água no Sistema Imunana-Laranjal, reduzindo consequentemente o fornecimento de água à população destes municípios”, informa a Cedae.

Um pico de luz ontem (17) também afetou a distribuição de água, deixando o sistema Imunana-Laranjal sem energia elétrica por cerca de 5 minutos. De acordo com a concessionária Ampla, o problema já foi resolvido. “A Ampla informa que um desarme numa linha de transmissão interrompeu, durante cerca de cinco minutos, o fornecimento de energia para o sistema Imunana-Laranjal, na manhã de ontem. A Ampla acrescenta que as causas estão sendo apuradas”.

Edição: Carolina Pimentel

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias