Governo federal libera R$ 55,5 milhões para projeto de captação de água no DF

Publicado em 15/03/2017 - 17:00 Por Paulo Victor Chagas - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Brasília - Nível de água da Barragem do Descoberto está abaixo da média histórica, com ameaça de desabastecimento em parte das cidades satélites (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Nível de água da Barragem do Descoberto está abaixo da média históricaFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em meio à crise hídrica no Distrito Federal (DF), o presidente Michel Temer autorizou nesta quarta-feira (15) a liberação de R$ 55,5 milhões para que o governo local possa licitar um projeto para captar água do Lago Paranoá. O repasse dos valores terá como objetivo a captação emergencial dos recursos hídricos para, nas palavras do governador do DF, Rodrigo Rollemberg, “minorar e atenuar” os problemas.

Atribuindo a situação às circunstâncias climáticas, Rollemberg afirmou que o volume de chuvas na região nos últimos dois anos foi “muito abaixo da média histórica”. Segundo o governador, a Companhia de Saneamento do Distrito Federal (Caesb) divulgará nesta quinta-feira (16) o pregão eletrônico para construção das estruturas necessárias.

As obras envolvem a instalação de uma estação com capacidade para captar 700 litros de água por segundo, por meio de seis tanques. De acordo com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, por causa da situação de emergência decretada pelo governo, o DF tem a obrigação de executar o empreendimento em no máximo seis meses.

Barbalho disse que a situação hídrica brasileira alerta para a necessidade de conscientização sobre o uso da água e que é preciso agir de forma “preventiva” para evitar “constrangimentos”. “Além de evitar o racionamento do hoje, estamos investindo para evitar o colapso de amanhã", afirmou o ministro. Ele disse acreditar que a solução proposta pelo governo do estado assegure oferta hídrica e tranquilidade para a população do Distrito Federal.

Desde janeiro, as cidades e regiões abastecidas pelo Reservatório do Descoberto iniciaram um sistema de racionamento no DF. Neste mês, as áreas que recebem água do Reservatório de Santa Maria passaram a fazer parte do esquema, com interrupção provisória no fornecimento de água.

Brasília - O presidente Temer e o governador do DF, Rodrigo Rollemberg em entrevista após cerimônia de autorização da licitação para o Sistema de Captação de Água do Lago Paranoá (Valter Campanato/Agência Brasil)

O presidente Michel Temer e o governador do DF, Rodrigo Rollemberg cumprimentam-se duranre a cerimônia de

autorização da licitação para o Sistema de Captação de Água do Lago ParanoáValter Campanato/Agência Brasil

Em discurso, Temer disse que mora há 30 anos em Brasília e jamais havia lidado com uma crise desse tamanho. “Vejo com alegria governamental e cívica que o governador utilizará de forma emergencial as águas do Lago Paranoá, pois ele disse que há várias outras medidas sendo planejadas para evitar qualquer hipótese de risco de falta d'água”, afirmou o presidente.

“Não haverá nenhum impacto ambiental sobre o Lago Paranoá”, disse o governador. Ele informou que o DF já tem licenciamento para captar, de forma definitiva, 2 mil litros de água por segundo. Em entrevista após o evento, Rollemberg não garantiu que o DF está livre de desabastecimento. “A situação em Brasília é muito grave. Mas o quadro para essa seca, que começa no mês de maio, é realmente preocupante. Esperamos ainda um volume de chuvas na segunda quinzena de março razoável. Só depois saberemos a gravidade do desafio que teremos que enfrentar durante todo período da seca.”

Edição: Amanda Cieglinski

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Voltar ao topo da página