Cinco crianças indígenas morrem no Amazonas

Publicado em 10/01/2020 - 16:26 Por Andreia Verdélio* – Repórter da Agência Brasil - Brasília

A Fundação Nacional do Índio (Funai) confirmou hoje (10) a morte de cinco crianças na região da Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas. De acordo com o órgão, uma das mortes aconteceu no porto do Rio Javari, na cidade de Atalaia do Norte, e as outras no percurso das comunidades até o local, “em circunstâncias não relatadas”.

Em nota, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) informou que indígenas ficam em canoas ancoradas em local insalubre e consumindo água diretamente do rio. De acordo com a organização não governamental, que recebeu informações do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) do Vale do Javari, já seriam seis crianças mortas.

Segundo o Cimi, na orla da cidade estão ancoradas mais de 20 canoas, cada uma com mais de dez pessoas que ficam ali abrigadas à espera de pagamentos de benefícios sociais, como da Previdência e Bolsa Família.

A Funai destacou que está atenta aos fatos ocorridos, mas que nem todos os recentes óbitos de crianças indígenas estão exatamente ligados ao deslocamento de indígenas até a cidade de Atalaia do Norte e à permanência na região. “A respeito da constância do grupo às margens do Rio Javari, a Fundação está apoiando e monitorando as medidas necessárias para o retorno desses indígenas às suas respectivas comunidades. Vale lembrar que a ida desses povos até a sede do município amazonense é um fato recorrente resultado de um processo socioeconômico”, diz a nota.

O Ministério da Saúde informou que a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) solicitou levantamento detalhado da situação para investigar as mortes de crianças. "Cabe esclarecer que a Sesai, juntamente com o Dsei do Vale do Javari, está acompanhando a situação para adoção das providências necessárias de intensificação do enfrentamento das causas evitáveis de mortalidade", diz a nota. 

Os Dseis são unidades descentralizadas do Sistema Único de Saúde (SUS) de atendimento a comunidades indígenas.

*Matéria alterada às 8h16 do dia 13/01/2019 para acréscimo de informações (últimos parágrafos)

Edição: Juliana Andrade

Últimas notícias