Live do Festival de Música da Rádio MEC anuncia semifinalistas

Transmissão ao vivo será neste sábado, às 16h, e contará com show

Publicado em 17/07/2020 - 07:26 Por Luiz Claudio Ferreira - Portal EBC - Agência Brasil - Brasília

Telonas e telinhas iluminadas. Ouvidos em êxtase. De trilhas para obras cinematográficas a vinhetas de abertura de telejornais. O violonista Eduardo Camenietzki, de 63 anos, recorda que as batidas em instrumentos ou objetos se organizavam em melodias criativas desde a infância. Com atividade profissional desde 1983, mais de 400 composições, ele já experimentou diferentes sensações ao criar e se apresentar. Para o experiente músico, porém, uma sensação no ano passado foi especialmente “maravilhosa”. Ele foi o vencedor do Festival de Música da Rádio MEC na categoria de música clássica, com a composição Três vinhetas para violino. “Uma felicidade que eu não tinha sentido ainda”, garante. Camenietzki é um dos músicos que se apresenta neste sábado (18), em evento virtual, uma live, no anúncio dos semifinalistas do festival deste ano. A apresentação começa às 16h.

Ouça a música Três vinhetas para violino no link abaixo


O evento vai mexer com os corações de muita gente. O festival contou com 1.029 inscrições nas nove categorias . A edição deste ano foi recordista em inscrições. A Comissão Julgadora selecionou as semifinalistas, que serão anunciadas no evento e veiculadas por um período de um mês na Rádio MEC. “Essa difusão é muito importante para nós artistas. As músicas tocam na rádio. É uma sensação incomparável”, destaca Eduardo Camenietzki.

 

Eduardo Camenietski tem mais de 400 composições
Eduardo Camenietski tem mais de 400 composições - Divulgação

 

Confira trecho da entrevista


Depois de um mês de divulgação, em que o público poderá votar pela internet, 12 músicas serão aclamadas finalistas em anúncio programado para o dia 27 de agosto.

O festival é organizado em quatro categorias: Música Instrumental, Música Clássica, Música Infantil e MPB. A premiação inclui a melhor composição e intérprete de cada categoria, como Melhor Canção; Melhor Intérprete Vocal; Melhor Música Infantil; Melhor Intérprete Música Infantil; Melhor Música Instrumental; Melhor Intérprete Música Instrumental; Melhor Música Clássica; Melhor Intérprete Música Clássica; além do prêmio de Melhor Música Voto Popular (internet).

No caso de Eduardo Camenietzki, ele respira música em diferentes ambientes há tanto tempo, que criar e escrever integram uma rotina em poesia, entre bemóis e sustenidos. Gravou o primeiro disco em 1983, embora tenha registro na atividade desde os 15 anos de idade. Músico de câmara e pesquisador do assunto na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), ele já foi reconhecido fora do país, inclusive com a música que venceu o festival no ano passado.

Para este sábado, o vencedor com Três vinhetas para violino  preparou duas peças para violão solo (instrumento principal dele) com ritmos distintos. Uma das atrações programadas é a música que ele fez para a série O tempo e o vento, veiculada na TV Globo. “Preparei duas peças. Uma é a Suíte gaúcha, encomendada pelo ator e diretor Paulo José para o personagem Capitão Rodrigo. A outra é Prelúdio em tempo de axé, feita em meados de 1990, inspirada no samba-reggae.

Piano e hibridismo

Outra atração do evento de sábado é uma apresentação da pianista Deborah Levy, de 49 anos, que venceu o festival em 2018, com a música Back to life, na categoria de Intérprete de Música Instrumental. Ela conta que o resultado, na ocasião, trouxe nova energia e horizonte surpreendente para a carreira. “Foi maravilhoso porque tinha acabado de lançar o CD Apimentada. Me fortaleceu como instrumentista. Fiquei muito emocionada”, lembra. A música (com título em inglês) foi feita nos Estados Unidos, onde vivia, e composta em um navio (em que trabalhava como musicista), depois de decidir que voltaria ao Brasil para retomar a carreira. “Era uma volta à vida. Pensando para este momento em que estamos vivendo, também pode ser considerado inspirador”.

Ouça trecho de entrevista da pianista


Sob inspiração deste momento da pandemia, a musicista desenvolve desde março o projeto Nossa Melhor Visão do Mundo, com oito singles. O primeiro, Isolamento e cura (que ela vai tocar no sábado, junto com Back to life), e o segundo, Dança da Lua Cheia, já foram lançados. No dia 24, ela veicula o terceiro, A queda das sombras

Pianista Deborah Levy mistura ritmos . Foto: Piu Dip
Pianista Deborah Levy mistura ritmos . Foto: Piu Dip - Piu Dip / Divulgação

 

A obra da pianista mistura jazz e elementos de diferentes gêneros da música brasileira, como as influências de compositores mineiros e cariocas. Uma artista inspirada por mestres de diferentes gêneros que identifica a sua obra como híbrida e instrumental, com referências do samba, choro, maracatu, baião e frevo. “Amo a música brasileira”.

 

Ouça a música Back to life abaixo

 

Música Back to life, de Deborah Levy - luiz.claudio

 

Por falar em música popular, outro artista que irá se apresentar é o violonista Raphael Gemal. Ele foi finalista na edição de 2019 (com Tema de Hipólita) e foi compositor, em 2005, em parceria com Ricardo Spilman, de Chamada, que venceu com a interpretação de Valéria Lobão. As duas músicas serão apresentadas na live deste sábado. “São duas canções que nós gostamos muito. Vou levar meu violãozinho pra tocar e cantar para o pessoal. Esses resultados nos trazem uma felicidade muito grande. Uma honra receber esse reconhecimento da Rádio MEC. Só de pensar que estamos no acervo dessa rádio tão representativa é uma honra muito grande”, diz o compositor de 52 anos de idade, profissional desde 1995. Lá se vão mais de 100 trabalhos de sua autoria. A paixão pela música nasceu quando criança. “Teve um período que eu ficava escutando minha mãe tocar piano. Levava a bacia e também ficava batucando. Foi sempre uma forma muito natural”.

 

Os parceiros Ricardo Szpilman e Valeria Lobão acompanham Raphael (com o violão)
Os parceiros Ricardo Szpilman e Valeria Lobão acompanham Raphael (com o violão) - Divulgação

 

Ouça abaixo a música Chamada


Ouça trecho da entrevista com Raphael Gemal

 


 

Natural também foi para o professor de música e compositor Hamilton Catette, outra atração de sábado. Ele venceu, no ano passado, com a música Pezinho de maracujá, na categoria de música infantil. “Foi uma enorme emoção. No ano anterior, a música O banho foi finalista. Só de estar ali,foi uma satisfação muito grande. Nesse festival tão importante, no dia da premiação eu estava tão exultante que colecionei sementes de maracujá e dei para todo mundo. Quando vi que tinha ganhado, eu pulei muito”.

Ouça trecho da entrevista do músico


Hamilton é formado em psicologia. "Durante o estágio em escola, eu me aproximei da educação infantil. São 40 anos dedicados a isso. Foi uma grande alegria ter abraçado a carreira de professor de música para infância”. Neste sábado, vai levar o violão e uma energia boa para os músicos e para a rádio. Ele, como os outros concorrentes, sabem que cada música em um festival tradicional como esse pode significar uma transformação e um novo fôlego para criar. Querem espalhar sementes de arte a cada vez que o som ecoar.

 

Hamilton Catette dedica-se à música para crianças
Hamilton Catette dedica-se à música para crianças - Divulgação


Ouça música Pezinho de maracujá

 


Você pode fazer companhia a essa galera, ouvir as produções e ainda perguntar e participar. A live é interativa. Não perca, clique aqui e confira a partir das 16h deste sábado. Apresentador da Rádio MEC, Tiago Alves convida no vídeo abaixo para o público acompanhar o evento. 

Edição: Alessandra Esteves / Beatriz Arcoverde

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias