Ouvidoria da Polícia acompanha apuração da ação de PMs na Alesp

Policiais lançaram gás de pimenta nas galerias e bateram no público

Publicado em 08/12/2023 - 16:16 Por Bruno Bocchini - Repórter da Agência Brasil * - São Paulo

A Ouvidoria da Polícia do estado de São Paulo informou nesta sexta-feira (8) que abriu um procedimento para acompanhar a apuração da ação de policiais no plenário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), na quarta-feira (6), na sessão em que foi aprovado o projeto de lei que autoriza o governo estadual a vender o controle da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Por força de lei, a apuração da conduta dos policiais deve ser feita pela Corregedoria da Polícia.

“Segundo relatos, os PMs chegaram a lançar gás de pimenta nas galerias e bater no público com cassetetes, com detenção de alguns destes manifestantes. Pode-se verificar que haviam equipes do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) e Força Tática e ficou perceptível também que estes não estavam usando as Câmeras Operacionais Portáteis (COPs). Assim, estamos abrindo procedimento”, informou a Ouvidoria, em nota.

O órgão disse que vai sugerir à Corregedoria da Polícia Militar, órgão responsável pela apuração, que busque as imagens do sistema de monitoramento interno da Alesp e as imagens geradas pela TV Alesp, “que podem apresentar elementos que nos elucidem se houve ou não excesso por parte das equipes da PM que atuaram na ocasião”.

“Sabemos que é preciso preservar a ordem dos trabalhos da assembleia, mas também garantir a livre manifestação do pensamento, ideias e atividades, como previsto no Artigo 5º de nossa Constituição Federal”, disse a Ouvidoria.

Nota

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo disse que quatro pessoas agrediram os policiais, que agiram para evitar a depredação do espaço. “Policiais militares atuaram na ocasião para conter um ato de depredação ao patrimônio durante a votação da proposta de desestatização da Sabesp, quando os quatro indiciados agrediram os policiais, além de danificar o mobiliário da Alesp”, diz a nota. 

Segundo a SSP, as quatro pessoas responderão por lesão corporal, dano, associação criminosa, resistência e desobediência.

* Matéria alterada às 20h57 para acrescentar posicionamento da Secretaria de Segurança

Edição: Fernando Fraga

Últimas notícias