EUA acusam regime sírio de matar e queimar milhares de prisioneiros

Publicado em 15/05/2017 - 15:27 Por Da Agência EFE - Washington

Os Estados Unidos acusaram nesta segunda-feira (15) o regime sírio de Bashar al-Assad de assassinar e depois queimar os corpos de milhares de prisioneiros, em um ritual de 50 mortes diariamente, com base em provas que o Executivo em Washington garante ter obtido. As informações são da agência EFE.

Em coletiva realizada hoje, o secretário-adjunto para Assuntos do Oriente do Departamento de Estado, Stuart Jones, afirmou ter provas fotográficas de que o governo da Síria construiu um crematório perto de uma prisão nos arredores de Damasco, onde queima corpos de detentos para esconder execuções em massa.

Ele disse que as imagens mostram neve derretida em áreas quentes, onde seria local da cremação, e pediu ao governo da Rússia, aliado de Assad, que aumente a pressão para que os responsáveis "por estas atrocidades prestem contas".

Crime de guerra

Segundo Jones, o regime sírio estaria enforcando e queimando os corpos dos prisioneiros para esconder as provas do que poderia ser considerado um crime de guerra, conforme a Convenção de Genebra. Ele disse que o regime de Assad autorizou execuções extrajudiciais na prisão de Saydnaya, a 30 km de Damasco, cuja situação degradante foi denunciada este ano pela Anistia Internacional, que a definiu como um "abatedouro humano", com a possibilidade de que até 13 mil pessoas tenham sido executadas lá.

"Segundo várias fontes, o regime sírio é acusado de matar até 50 presos por dia em Saydnaya. Acreditamos que o regime instalou um crematório que pode eliminar os corpos sem que restem muitas provas", explicou Jones, que repercutiu relatórios de que muitos desses corpos eram jogados em valas comuns.

O responsável pelo Departamento de Estado americano disse acreditar que estas provas levarão o Executivo em Moscou a aumentar a pressão sobre Assad, para que se busque uma solução política à guerra civil síria, incluindo a saída do líder do país. Jones não quis falar sobre ações militares em resposta a este crime, como aconteceu quando o presidente americano, Donald Trump, ordenou o bombardeio de uma base aérea síria em abril, depois de um ataque com armas químicas atribuído a Assad.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Stephanie Soares
Esportes

A história peculiar de uma aposta do basquete brasileiro

Com apenas 20 anos de idade, a jogadora de basquete brasileira Stephanie Soares tem talento incomum. E uma trajetória também.

O presidente da Russia, Vladimir Putin, durante Diálogo dos Líderes com o Conselho Empresarial do BRICS
Internacional

Rússia anuncia primeira vacina contra a covid-19

Produto foi aprovado pelo Ministério da Saúde. A Rússia espera agora poder iniciar a aplicação em massa, mesmo que estejam ocorrendo ainda testes clínicos para comprovar a segurança do produto.

Idosos moradores do Lar São José, em Sobradinho, no Distrito Federal, recebem presentes de Natal
Direitos Humanos

Covid-19: mais de 330 abrigos de idosos já receberam doações

As instituições que já receberam as doações representam 67% dos abrigos cadastrados na primeira etapa da Campanha Solidarize-se, ação promovida pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Parque Nacional da Tijuca
Geral

Ingresso ao Parque Nacional da Tijuca está 80% mais barato

O desconto tem por objetivo estimular o turismo local e diminuir, a curto prazo, os impactos negativos no equilíbrio econômico-financeiro dos contratos, causados pela pandemia da covid-19.

nascentes devem ser protegidas
Geral

Prazo para inscrições no Prêmio ANA 2020 termina no sábado

Inscrições devem ser feitas pelo site da premiação. Cada participante pode inscrever mais de uma iniciativa. Além disso, poderão ser apresentados trabalhos indicados por terceiros.

Premiê britânico, Boris Johnson, deixa residência oficial em Londres
Internacional

Boris Johnson teme que Reino Unido perca poder se Escócia se separar

Escócia depositou 55% dos votos contra a independência em um referendo de 2014, mas o Partido Nacional Escocês, que governa a nação, quer outro pleito.