Plano global quer reduzir mortes por cólera no mundo em 90% até 2030

Segundo estimativas, o cólera mata cerca de 95 mil pessoas e afeta

Publicado em 04/10/2017 - 13:28 Por Da ONU News - Nova York (EUA)

A epidemia no Iêmen já é considerada a crise mais grave de cólera do mundo

A epidemia no Iêmen já é considerada a crise mais grave de cólera do mundoFoto: Unicef/Divulgação/Arquivo

Uma nova estratégia para reduzir as mortes globais por cólera em 90% até 2030 será lançada nesta quarta-feira (4) pela Força-Tarefa Global sobre Controle do Cólera (Gtfcc, na sigla em inglês). A rede inclui mais de 50 agências internacionais e da ONU, instituições acadêmicas e ONGs que atuam em países atingidos pela doença. A informação é da ONU News.

Segundo estimativas, o cólera mata cerca de 95 mil pessoas e afeta mais 2,9 milhões a cada ano em todo o mundo. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma ação urgente é necessária para proteger comunidades, evitar a transmissão e controlar surtos.

O novo plano global reconhece que a doença se espalha em locais endêmicos onde ocorrem anualmente "surtos previsíveis".

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, declarou que a agência tem "orgulho" de fazer parte da nova iniciativa para acabar com as mortes por cólera. Segundo ele, a doença tem maior impacto entre as pessoas mais pobres e vulneráveis, o que é "inaceitável". Ele defendeu que este plano global é "a melhor forma disponível" para pôr um fim a este problema.

Mortes evitáveis

Segundo a OMS, o plano global busca "alinhar recursos, partilhar experiências e fortalecer parcerias entre países afetados, doadores e agências internacionais. Ghebreyesus destacou que todas as mortes por cólera são "evitáveis, usando as ferramentas disponíveis atualmente", como a vacina oral e melhor acesso à água limpa e serviços de saneamento e higiene como estabelece a iniciativa.

De acordo com a OMS, implementando o plano, até 20 países poderiam eliminar o cólera até 2030.
A agência ressaltou que avanços no fornecimento de serviços de água e higiene tornaram a Europa e a América do Norte livres da doença por décadas.

Embora esses serviços sejam reconhecidos como um direito humano básico pelas Nações Unidas, atualmente mais de 2 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso seguro à água e estão em risco potencial de cólera. Sistemas de saúde fracos e dificuldade de detecção precoce também contribuem para a rápida propagação de surtos.

Conflitos

Segundo a OMS, a doença tem impacto desproporcional em comunidades atingidas por conflitos e guerras, seja pela falta de infraestrutura, seja pelos serviços de saúde fracos e pela desnutrição. O Iêmen, por exemplo, vive atualmente o pior surto de cólera do mundo. De acordo com a Agência da ONU para Migrações, desde outubro de 2016, 750 mil pessoas foram atingidas pelo cólera, com mais de 5 mil infectadas por dia. Mais de 2 mil pessoas já morreram.

A OMS ressaltou que proteger essas comunidades antes de surtos da doença é significativamente mais econômico do que responder continuamente a surtos.

Edição: -

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Avião de pequeno porte
Geral

Anac autoriza táxi-aéreo a vender assento individual

As empresas de táxi-aéreo aptas a fazer esse serviço estão listadas no sistema Voe Seguro, e podem ser consultadas no site da Anac. As regras foram publicadas no Diário Oficial da União.

 Incêndio no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Divulgação/Parnaso)
Geral

Prossegue combate a incêndio florestal na Serra dos Órgãos

Hoje é o quarto dia consecutivo que o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro atua no combate ao incêndio florestal de grandes proporções no Parnaso.

medicina, hospital, centro cirúrgico, pacientes, tratamento, internação, equipamento hospitalar
Educação

Governo de SP autoriza retomada dos cursos na área da Saúde

Segundo o secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, o objetivo da volta das atividades em cursos da área de saúde é "garantir a formação médica”.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, durante aula magna sobre o tema Educação e Democracia: Perspectiva 2018, na abertura do curso da pós-graduação Lato Sensu em Democracia, Direito Eleitoral e Poder Legislativo.
Justiça

Fux convoca audiência sobre horário de funcionamento de tribunais

A reunião está prevista para 2 de outubro e será mais uma tentativa de resolver o conflito que envolve advogados e os tribunais.

Saúde

Pesquisadores desenvolvem tecido capaz de matar o vírus da covid-19

O tecido está sendo produzido no Laboratório de Engenharia de Superfícies da Coppe/UFRJ e tem por objetivo oferecer maior proteção aos profissionais da área de saúde.

70th Anniversary Grand Prix
Esportes

Mercedes é a mais rápida em treinos para GP dos 70 anos da F1

Em Silverstone, equipe alemã faz dobradinha, com Hamilton em primeiro e Bottas em segundo. Australiano Daniel Ricciardo surpreende e fica com terceira melhor marca.