Um sexto das crianças em idade escolar não vai à aula, diz ONU

Publicado em 13/09/2019 - 15:52 Por RTP (emissora pública de televisão de Portugal) - -

Cerca de 258 milhões de crianças e adolescentes de entre 6 e 17 anos em todo o mundo, um sexto do total, não frequentam a escola, segundo dados de 2018 publicados hoje (13) pela Organização das Nações Unidas (ONU).

 Durante mais de uma década, o progresso na escolaridade foi "mínimo ou zero", explicou a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) em comunicado, alertando que "se não forem tomadas medidas urgentes, 12 milhões de crianças nunca verão o interior de uma sala de aula".

Com esses dados - indicou a Unesco - será muito difícil alcançar uma educação inclusiva e de qualidade disponível para todos, um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que a comunidade internacional acordou concretizar até 2030.

A diferença entre países ricos e pobres é evidente quando se observa que, enquanto nos primeiros 2% das crianças em idade escolar primária (entre 6 e 11 anos) não estão na escola, nos segundos são 19 por cento.

Essas diferenças são ainda maiores nos níveis superiores: em comparação com 8% dos jovens de 15 e 17 anos que não frequentam a escola nos países desenvolvidos, a proporção é de 61% nos países em desenvolvimento.

A diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, explicou que as meninas "continuam a ser vítimas dos maiores obstáculos", uma vez que estima-se que haverá 9 milhões que nem sequer vão para o ensino primário, face a 3 milhões de rapazes.

Dessas 9 milhões de meninas não escolarizadas, 4 milhões vivem na África subsaariana, onde a situação é "ainda mais preocupante", assinalou Azoulay ao condiderar que é necessário fazer da educação de mulheres e meninas a "maior prioridade".

Estas estatísticas foram divulgadas uma semana antes da realização da Assembleia-Geral das Nações Unidas, que deve analisar os progressos nos ODS e abordar o financiamento necessário para colocá-los em prática.

Edição: -

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Uso de máscara para proteção contra o novo coronavírus.
Saúde

Estado do Rio prorroga suspensão das aulas presenciais até dia 20

Prefeitura do Rio de Janeiro informou que as escolas municipais da educação infantil e do ensino fundamental permanecem sem data para o retorno às aulas presenciais.

Médicos fazem treinamento no hospital de campanha para tratamento de covid-19 do Complexo Esportivo do Ibirapuera.
Internacional

OMS: covid-19 põe em risco anos de progresso em saúde nas Américas

Diretora regional da organização, Carissa Ethienne pediu aos governos que aumentem os gastos em saúde para pelo menos 6% do PIB.Para ela, média atual de 3,7% não é suficiente.

Vista geral da favela Morro Azul, na zona sul do Rio de Janeiro.
Economia

Inflação para famílias de renda mais baixa fica em 0,50% em julho

O índice é calculado com base em preços coletados em sete capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife e Salvador.

O Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (LACEN) está realizando exames para identificação do novo coronavírus (COVID-19)
Saúde

Universidade de Brasília e HUB iniciam teste de vacina contra covid-19

Os primeiros que vão participar do estudo-teste são cinco profissionais da saúde que atuam no atendimento de infectados, mas não tiveram ainda a doença, informa a UnB.

Destruição provocada por explosão em Beirute
Internacional

Líbano lida com devastação feita por explosões no porto

O grande número de feridos levou a uma superlotação dos hospitais de Beirute, informou a Cruz Vermelha. O presidente do Líbano anunciou recursos de US$ 66 milhões em fundos de emergência.

Internacional

Vendedores e consumidores enfrentam riscos em mercado de Caracas

No maior mercado de produtos agrícolas da capital venezuelana, as pessoas dão pouca atenção às regras de distanciamento, embora muitos usem máscaras