Trump diz não estar preocupado com infecção pelo novo coronavírus

Casa Branca informou que presidente dos EUA não fará exame

Publicado em 12/03/2020 - 17:57 Por Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil - Brasília
Atualizado em 12/03/2020 - 19:02

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira (12) que não está preocupado com o risco de contaminação pelo novo coronavírus após ser informado de que o secretário de comunicação do governo brasileiro, Fábio Wajngarten, foi diagnosticado com a doença. Wajngarten integrou a comitiva presidencial na recente viagem do presidente Jair Bolsonaro à Flórida, nos EUA, e chegou a tirar foto ao lado do líder norte-americano durante um encontro. 

"Jantamos juntos em Mar-a-Lago, na Flórida, com a delegação inteira. Não sei se o assessor de comunicação [Wajngarten] estava lá. Se estava, estava. Mas não fizemos nada fora do usual. Sentamos perto por algum tempo, tivemos uma ótima conversa. Ele [Bolsonaro] está fazendo um excelente trabalho no Brasil e vamos descobrir o que vai acontecer. Acredito que estejam sendo testados agora. Deixa eu colocar da seguinte maneira: não estou preocupado", afirmou Trump ao receber a imprensa ao lado do primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, na Casa Branca.

Em nota, a Casa Branca reforçou a posição de Trump e informou que não há recomendação para que o presidente norte-americano faça teste para detecção do vírus.  "Tanto o presidente como o vice-presidente quase não tiveram interações com o indivíduo que teve um teste positivo e não é requerido que eles sejam testados a essa altura. Como dito anteriormente, a Unidade Médica da Casa Branca e o Serviço Secreto dos EUA têm trabalhado em proximidade a várias agências para garantir que cada precaução seja tomada para manter saudáveis as primeira e segunda famílias e toda a equipe da Casa Branca."

O senador norte-americano Rick Scott, que também se encontrou com Bolsonaro e sua comitiva em Miami, disse ter sido alertado pela sua assessoria sobre a contaminação de Wajngarten e que, apesar de não ter interagido com o secretário brasileiro diretamente, decidiu aplicar uma auto-quarentena. "A saúde e a segurança do povo americano é meu foco e eu decidi fazer auto-quarentena por um excesso de precaução. Eu estou me sentindo saudável e não estou sentindo nenhum sintoma nesse momento", afirmou. 

Do lado brasileiro, a Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República confirmou, mais cedo, a contaminação de Fábio Wajngarten pelo novo coronavírus. Ele ficará afastado do trabalho pelas próximas semanas. O presidente passa o dia no Palácio do Alvorada, sem compromisso oficial previsto. A Secom informou que está adotando as medidas preventivas para preservar a saúde de Bolsonaro e de toda a comitiva que o acompanhou aos EUA, mas não chegou a confirmar se o presidente seria submetido a exame para detecção de uma eventual infecção. O filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, que também viajou para os EUA, disse que o pai fez teste para coronavírus e ainda aguarda o resultado. "Presidente Bolsonaro fez teste para coronavírus e aguarda o resultado. Porém, o presidente não tem sintomas da doença", postou em sua conta no Twitter 

 

* Texto ampliado às 19h01

Edição: Aline Leal

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Voltar ao topo da página