Trump diz não estar preocupado com infecção pelo novo coronavírus

Casa Branca informou que presidente dos EUA não fará exame

Publicado em 12/03/2020 - 17:57 Por Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil - Brasília
Atualizado em 12/03/2020 - 19:02

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira (12) que não está preocupado com o risco de contaminação pelo novo coronavírus após ser informado de que o secretário de comunicação do governo brasileiro, Fábio Wajngarten, foi diagnosticado com a doença. Wajngarten integrou a comitiva presidencial na recente viagem do presidente Jair Bolsonaro à Flórida, nos EUA, e chegou a tirar foto ao lado do líder norte-americano durante um encontro. 

"Jantamos juntos em Mar-a-Lago, na Flórida, com a delegação inteira. Não sei se o assessor de comunicação [Wajngarten] estava lá. Se estava, estava. Mas não fizemos nada fora do usual. Sentamos perto por algum tempo, tivemos uma ótima conversa. Ele [Bolsonaro] está fazendo um excelente trabalho no Brasil e vamos descobrir o que vai acontecer. Acredito que estejam sendo testados agora. Deixa eu colocar da seguinte maneira: não estou preocupado", afirmou Trump ao receber a imprensa ao lado do primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, na Casa Branca.

Em nota, a Casa Branca reforçou a posição de Trump e informou que não há recomendação para que o presidente norte-americano faça teste para detecção do vírus.  "Tanto o presidente como o vice-presidente quase não tiveram interações com o indivíduo que teve um teste positivo e não é requerido que eles sejam testados a essa altura. Como dito anteriormente, a Unidade Médica da Casa Branca e o Serviço Secreto dos EUA têm trabalhado em proximidade a várias agências para garantir que cada precaução seja tomada para manter saudáveis as primeira e segunda famílias e toda a equipe da Casa Branca."

O senador norte-americano Rick Scott, que também se encontrou com Bolsonaro e sua comitiva em Miami, disse ter sido alertado pela sua assessoria sobre a contaminação de Wajngarten e que, apesar de não ter interagido com o secretário brasileiro diretamente, decidiu aplicar uma auto-quarentena. "A saúde e a segurança do povo americano é meu foco e eu decidi fazer auto-quarentena por um excesso de precaução. Eu estou me sentindo saudável e não estou sentindo nenhum sintoma nesse momento", afirmou. 

Do lado brasileiro, a Secretaria de Comunicação (Secom) da Presidência da República confirmou, mais cedo, a contaminação de Fábio Wajngarten pelo novo coronavírus. Ele ficará afastado do trabalho pelas próximas semanas. O presidente passa o dia no Palácio do Alvorada, sem compromisso oficial previsto. A Secom informou que está adotando as medidas preventivas para preservar a saúde de Bolsonaro e de toda a comitiva que o acompanhou aos EUA, mas não chegou a confirmar se o presidente seria submetido a exame para detecção de uma eventual infecção. O filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, que também viajou para os EUA, disse que o pai fez teste para coronavírus e ainda aguarda o resultado. "Presidente Bolsonaro fez teste para coronavírus e aguarda o resultado. Porém, o presidente não tem sintomas da doença", postou em sua conta no Twitter 

 

* Texto ampliado às 19h01

Edição: Aline Leal

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
sala de aula
Educação

UFRJ transfere para o dia 24 o início do período letivo remoto

Período letivo da UFRJ está suspenso desde 16 de março por causa da pandemia. Com o adiamento do início do período letivo, o término passou de 31 de outubro para 14 de novembro.

Cúpula da bomba atômica durante cerimônia para marcar o 75º aniversário do bombardeio atômico em Hiroshima.
Geral

Hiroshima: primeiro ataque com bomba atômica completa 75 anos

Hiroshima foi destruída após o primeiro ataque nuclear da história durante a Segunda Guerra Mundial. Três dias depois os Estados Unidos bombardearam Nagazaki.

.facebook
Internacional

Facebook remove postagem de Trump por desinformação sobre covid-19

Porta-voz do facebook diz que vídeo postado inclui afirmações falsas, o que é uma violação de sua política sobre desinformações prejudiciais

Polícia Federal genérica
Geral

PF cumpre 6 mandados de prisão contra fraudes em contratações na saúde

Alvos são empresários e agentes públicos suspeitos de fazer contratações irregulares para serviços na área da saúde. Três pessoas já foram presas, segundo a Polícia Federal.

Teste rápido de COVID-19
Internacional

Coreia do Norte: 1º caso suspeito de covid-19 teve teste inconclusivo

Se confirmado, o caso seria o primeiro oficialmente reconhecido por autoridades norte-coreanas, embora a mídia reafirme que nenhuma infecção foi relatada no país até agora.

Incêndios florestais no DF
Geral

Defesa Civil reconhece situação de emergência em municípios de MS

Medida publicada hoje em portaria no Diário Oficial da União inclui os municípios de Corumbá e Ladário. Incêndios florestais atingem algumas regiões de Mato Grosso do Sul.