Forças de Israel dizem que não podem garantir segurança de jornalistas

Agências de notícias buscaram garantias da segurança de funcionários

Publicado em 27/10/2023 - 19:24 Por Mark Bendeich - Repórter da Reuters - Tel Aviv

As Forças de Defesa de Israel (IDF, em inglês) disseram às organizações de notícias internacionais Reuters e Agence France-Presse que não podem garantir a segurança de seus jornalistas que operam na Faixa de Gaza, território sob bombardeio e cerco israelenses há quase três semanas.

Enclave palestino administrado pelo Hamas, Gaza está sob bombardeio desde 7 de outubro, quando homens armados do grupo militante atravessaram a fronteira e mataram cerca de 1,4 mil pessoas em Israel. O Ministério da Saúde de Gaza afirma que cerca de 7 mil pessoas foram mortas em ataques israelenses.

As Forças de Defesa de Israel escreveram à Reuters e à AFP nesta semana após as agências buscarem garantias de que os seus jornalistas em Gaza não seriam alvo de ataques israelenses

"As IDF têm como alvo todas as atividades militares do Hamas em Gaza", diz a carta das forças israelenses, acrescentando que o Hamas deliberadamente colocou operações militares "nas proximidades de jornalistas e civis".

As IDF também observaram que os seus ataques de alta intensidade contra alvos do Hamas poderiam causar danos aos edifícios em volta e que os foguetes do Hamas também poderiam falhar e matar pessoas dentro de Gaza.

"Nessas circunstâncias, não podemos garantir a segurança dos seus funcionários e pedimos veementemente que tomem todas as medidas necessárias para a segurança deles", concluiu a carta das forças israelenses. 

O Hamas não comentou imediatamente quando questionado sobre a alegação das IDF de que teria posicionado operações militares perto de onde se sabe que os jornalistas em Gaza estão baseados.

A Reuters não conseguiu verificar quantas outras organizações de notícias que operam em Gaza receberam a mesma carta das IDF.

Últimas notícias