Organização para Migrações apoiou 6,5 milhões de pessoas na Ucrânia

Destruição é generalizada, diz diretora-geral Amy Pope

Publicado em 22/02/2024 - 14:34 Por Agência Lusa - Lisboa

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) prestou apoio a 6,5 milhões de pessoas na Ucrânia e em 11 países vizinhos desde o início da invasão russa, que completa dois anos no sábado, declarou hoje (22) o organismo das Nações Unidas.

"A destruição é generalizada, a perda de vidas e o sofrimento continuam", disse a diretora-geral da OIM, Amy Pope, em um comunicado.

"Ao longo de tudo isso, a OIM tem sido uma presença constante na Ucrânia e nos países vizinhos, apoiando um grande número de pessoas que fogem para salvar as suas vidas. As necessidades são enormes e é preciso fazer muito mais" pelos ucranianos, afirmou a diretora-geral da OIM.

Mais de 14,6 milhões de pessoas – cerca de 40% da população total da Ucrânia – continuam necessitando de alguma forma de assistência humanitária neste ano, enquanto 2,2 milhões de refugiados necessitam de assistência nos países vizinhos.

Segundo o comunicado da OIM, durante os dois anos de invasão em grande escala da Rússia na Ucrânia, mais de 14 milhões de pessoas fugiram das suas casas. Famílias foram separadas, crianças ficaram desalojadas e comunidades destruídas.

Cerca de 3,7 milhões de pessoas continuam deslocadas na Ucrânia, enquanto cerca de 6,5 milhões estão refugiados em outros países. Mais de 4,5 milhões regressaram para casa até ao momento, provenientes do estrangeiro ou de deslocamento dentro do país, informou o organismo das Nações Unidas.

Segundo a nota, trabalhando com parceiros do governo, da ONU e da sociedade civil, tanto na Ucrânia como nos países vizinhos, a resposta da OIM deu prioridade à proteção das pessoas mais vulneráveis. A OIM está apoiando os esforços de recuperação na Ucrânia, reconstruindo habitações, sistemas de água e aquecimento, e prestando serviços de saúde.

O apoio dos doadores a esta resposta não tem precedentes e a OIM expressou sua gratidão por esta contribuição inestimável, referiu o comunicado.

Nos primeiros dois anos de resposta, foram mobilizados US$ 957 milhões (€ 882 milhões), face ao objetivo de financiamento de US$ 1,5 bilhão de dólares (€ 1,38 bilhão). Contudo, desde que a guerra entrou em uma fase prolongada, as necessidades continuam crescendo e ultrapassando os recursos disponíveis.

"Contamos com um maior apoio de doadores e parceiros locais para enfrentar os desafios que temos pela frente para proporcionar uma vida melhor aos ucranianos", afirmou Pope.

"A OIM elogia o governo da Ucrânia e o povo ucraniano pela sua força e resiliência, bem como os vizinhos da Ucrânia que acolhem aqueles que procuram segurança. Continuamos totalmente comprometidos em aliviar o sofrimento humano e ajudar na recuperação."

Segundo o comunicado, a OIM continuará o seu papel como parceiro de confiança da União Europeia, dos governos da Ucrânia e dos países que acolhem refugiados para apoiar as pessoas afetadas pela guerra.

 

*É proibida a reprodução deste conteúdo

Últimas notícias