Imigrantes venezuelanos são absorvidos na rede de ensino de Pacaraima

Publicado em 02/08/2021 - 08:30 Por Sayonara Moreno - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Desde a flexibilização da entrada de imigrantes venezuelanos em situação de vulnerabilidade, ao Brasil, a cidade de Pacaraima, em Roraima, mais que dobrou o número de estudantes matriculados na rede municipal de ensino.

Apesar de a recepção dessas pessoas ser atribuição do governo federal, a estrutura de atendimento em saúde e educação, por exemplo, é responsabilidade do município. O chefe de gabinete da prefeitura de Pacaraima, Marcio Medeiros, conta que o impacto da chegada dos imigrantes, foi muito maior nos serviços de saúde e educação do município. Nas escolas da prefeitura, o número de matriculados mais que duplicou, em comparação com os números anteriores à pandemia. Hoje são cerca de 4 mil alunos nas escolas públicas.

Marcio Medeiros argumenta que a cidade de Pacaraima não comporta o alto fluxo de imigrantes em situação de vulnerabilidade social. Por isso, serve de passagem para os venezuelanos que são interiorizados para o restante do país. O fluxo de pessoas em Pacaraima subiu tanto, que começaram a ser formadas as ocupações chamadas “espontâneas”. O chefe de gabinete da prefeitura, Márcio Medeiros, explica que a cidade não tem estrutura para alocar essas pessoas de forma permanente.

Pacaraima faz divisa com a cidade de Santa Elena de Uairén, na Venezuela. Desde que começou a crise humanitária, recebeu mais de um milhão de imigrantes venezuelanos. A estimativa é da Operação Acolhida, do Exército brasileiro. Apesar da situação difícil para muitas famílias que buscam refúgio no Brasil, a entrada dessas pessoas deve ser controlada, com respeito às medidas sanitárias da Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e oficializada pela Polícia Federal.

Antes mesmo do fechamento das fronteiras, na pandemia, a operação acolhida já havia atendido mais de um milhão de venezuelanos e mais de cinquenta mil interiorizados para 700 cidades brasileiras.

Com a flexibilização das pessoas vindas da Venezuela, em situação de vulnerabilidade, o controle sanitário é indispensável. No entanto, o índice de contaminação das pessoas acolhidas é menor que 3%, abaixo da média nacional. Isso devido aos protocolos sanitários que são respeitados.

Edição: Jéssica Goncalves / Guilherme Strozi

Últimas notícias
Geral

MST faz balanço de ocupações durante Jornada de Lutas

Como parte da Jornada Nacional de Lutas, o MST, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, realizou 24 ocupações em 11 estados brasileiros, nesta segunda-feira, mobilizando mais de 20 mil famílias sem terra.

Baixar arquivo
Economia

Aumenta o número de bares e restaurantes com prejuízos

As dívidas acumuladas fizeram 31% das empresas do Brasil funcionarem no vermelho em fevereiro.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Programa de Reforma Agrária deve incluir 300 mil famílias até 2026

Dez tipos de propriedades serão disponibilizados para os assentamentos, entre elas, imóveis rurais considerados improdutivos, pelo Incra, áreas rurais em posse de bancos e empresas públicas, terras estaduais usadas para abater dívidas com a União e áreas confiscadas por exploração de trabalho semelhante à escravidão.

Baixar arquivo
Economia

Governadores discutem renegociação de dívidas dos estados

Governadores de cinco estados se reuniram nesta segunda-feira (15) com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, para discutir o refinanciamento das dívidas estaduais.

Baixar arquivo
Economia

LDO para 2025 prevê déficit zero e salário mínimo de R$ 1.502

A previsão está na Lei de Diretrizes Orçamentárias que o Ministério do Planejamento e Orçamento entregou ao Congresso Nacional.

Baixar arquivo
Geral

Governo pede que CNJ estabeça critérios para saidinha de presos

O pedido foi encaminhado após a sanção, com vetos, da lei que reformou o instituto da saída temporária de presos em regime semiaberto, assinada na semana passada pelo presidente Lula.

Baixar arquivo