Guedes: Bolsonaro fez escolha política ao desistir do Renda Brasil

Pagamento do auxílio emergencial não será afetado

Publicado em 15/09/2020 - 19:30 Por Victor Ribeiro - Brasília

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participou do evento digital Painel Telebrasil nesta terça-feira (15), e comentou a decisão do presidente Jair Bolsonaro de não criar o programa Renda Brasil e manter o Bolsa Família. Guedes defendeu o que considerou uma escolha política de Bolsonaro.

O programa Bolsa Família foi criado no fim de 2003, a partir do Bolsa Escola, e substituiu o Fome Zero. Após a crise econômica de 2008, o Bolsa Família se tornou referência para diversos países, inclusive europeus. Os beneficiários são pessoas em situação de extrema pobreza, e que precisam dar contrapartidas como manter os filhos na escola e fazer cursos profissionalizantes. No começo deste ano o programa repassou, em média, R$ 191 por mês para cada família.

A ideia inicial do presidente Bolsonaro era aproveitar o recadastramento feito pelo auxílio emergencial e reformular a estratégia de transferência de renda, criando o Renda Brasil. O objetivo era que o novo programa social pagasse benefícios com valores mais altos que o Bolsa Família.

Mas desde que Jair Bolsonaro comentou publicamente essa vontade, levantamentos feitos pela equipe econômica vazaram para a imprensa. Foi o que ocorreu no fim de semana, quando relatórios internos apontavam a possibilidade de congelar o valor de benefícios previdenciários para alocar recursos no Renda Brasil.

Nesta terça-feira, o presidente criticou esses vazamentos, e disse que pode dar cartão vermelho para o integrante do governo que quiser tirar recursos de pessoas pobres para repassar aos mais pobres. O ministro Paulo Guedes também condenou os vazamentos.

Com a decisão anunciada, o pagamento do auxílio emergencial não será afetado: continua até o mês de dezembro. A partir de janeiro, as pessoas em situação de extrema pobreza voltam a receber o Bolsa Família, como era até o mês de abril.

Edição: Ana Pimenta

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Ministério de Direitos Humanos lança campanha contra trabalho infantil

12 de junho é o Dia Internacional e Nacional de Combate ao Trabalho Infantil. No Brasil, é ilegal qualquer tipo de trabalho realizado por crianças ou adolescentes com menos de 16 anos, independentemente da finalidade ou remuneração.

Baixar arquivo
Geral

Criminoso mais procurado do Rio é morto em ação da Polícia Civil

A Polícia Civil do Rio de Janeiro capturou neste sábado (12) Wellington da Silva Braga, conhecido como Ecko, chefe da maior milícia em atividade do

Baixar arquivo
Esportes

Seleção venezuelana confirma 12 casos positivos para covid-19

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que foi notificada pela Confederação Sul-americana de Futebol, a Conmebol, nessa sexta-feira (12), de que 12 integrantes da seleção venezuelana de futebol, entre

Baixar arquivo
Geral

Queiroga diz que todos os brasileiros devem ser vacinados este ano

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, assegurou neste sábado (12), que todos os brasileiros com mais de 18 anos deverão estar vacinados contra a covid-19 até o final deste ano.

Baixar arquivo
Geral

Cristo Redentor é iluminado de vermelho contra trabalho infantil

O monumento ao Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, vai ser iluminado com a cor vermelha a partir das 18 horas deste sábado (12).

Baixar arquivo
Geral

Políticos repercutem a morte de Marco Maciel, aos 80 anos

Morreu neste sábado (12), o ex-vice-presidente da República Marco Maciel, aos 80 anos, em Brasília.

O político, nascido em Pernambuco, esteve no cargo entre 1995 e 2002, eleito junto com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ele era filiado ao PFL, hoje DEM.

Baixar arquivo