Inflação medida pelo IPCA-15 encerra 2021 acima de 10%

Publicado em 23/12/2021 - 15:35 Por Fabiana Sampaio - Repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) fechou 2021 em 10,42%, maior acumulado em um ano desde 2015, de acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira pelo IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O IPCA-15 é uma prévia do indicador oficial da Inflação no país, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e se refere ao consumo das famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos.

No mês de dezembro o IPCA-15  ficou em 0,78%, 0,39 ponto percentual abaixo da taxa de novembro. Em dezembro de 2020 o índice havia encerrado o último mês do ano em 1,06%. 

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE, sete apresentaram alta este mês. Apenas Saúde e cuidados pessoais e Educação não registraram aumento.

O maior impacto e principal variação vieram, mais uma vez, dos Transportes, que encerraram o ano com alta acumulada de 21,35%. O resultado do grupo Transportes foi influenciado principalmente pelos preços dos combustíveis, em particular, da gasolina, que contribuiu com o maior impacto individual no índice deste mês. Também os preços do etanol e do óleo diesel pesaram no  IPCA-15, embora com variações menores que as do mês anterior.  

Outro destaque foram as passagens aéreas, com alta de 10,07%, após o recuo de -6,34% observado em novembro.

No grupo Habitação a maior contribuição veio da energia elétrica, com alta de 0,96%, cujo resultado ficou próximo ao do mês anterior.

Na sequência dos maiores impactos está o grupo Alimentação e bebidas. Segundo a pesquisa,  a alta de 0,35% se deve principalmente às refeições em casa. Café moído, frutas  e carnes também subiram em dezembro, após os recuos do mês anterior. Entre legumes, destaque para a  alta da cebola, enquanto  o tomate registrou queda.

A alimentação fora de casa, por sua vez, variou 0,08%.

O único grupo com queda em dezembro foi Saúde e cuidados pessoais, -0,73%. A variação negativa ocorreu, segundo o IBGE, por conta dos itens de higiene pessoal.   

Em relação  aos índices regionais, a pesquisa aponta que todas as áreas pesquisadas apresentaram alta em dezembro. A maior, na região metropolitana de Salvador, enquanto o menor resultado ocorreu na região metropolitana de Belém.

Edição: Jacson Segundo/Edgard Matsuki

Últimas notícias
Geral

Distrito Federal abre abrigo provisório depois de recorde de frio

Por enquanto, são 100 vagas a serem preenchidas por ordem de chegada, para pernoite, das 20h até as 8h, no Ginásio do Centro Integrado de Educação Física, na quadra 907 Sul, região central da capital federal.

Baixar arquivo
Geral

Divulgada a lista de aprovados do concurso para o Censo 2022, do IBGE

Agora a próxima etapa será a de convocação e depois os aprovados serão chamados pelo IBGE para realizar treinamento.

Baixar arquivo
Economia

Equipe econômica aumenta previsão de alta para a inflação deste ano

De acordo com o Relatório de Receitas e Despesas do segundo bimestre, a inflação que, na previsão anterior, encerraria o ano em 6,5%, agora deve chegar a 7,9%, mais que o dobro do centro da meta de inflação anunciada para este ano, que seria de 3,5%. Já a previsão da taxa Selic subiu de 11,6% ao ano para 12,2%.

Baixar arquivo
Saúde

Brasileiro é o 1º caso de varíola dos macacos registrado na Alemanha

O rapaz, de 26 anos, viajou também para Portugal e Espanha antes de chegar a Alemanha. Ele estava há uma semana em Munique, cidade ao sul do país. A informação foi divulgada pelo Instituto de Microbiologia de Bundeswehr, ligado às forças armadas alemãs.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Agricultura lança campanha de promoção do produto orgânico

A campanha tem como objetivo detalhar os mecanismos de controle da qualidade orgânica que são utilizados no Brasil. Ou seja, ajudar o consumidor a identificar se determinado produto no mercado é orgânico e também a reconhecer as fraudes.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Frio começa a perder força na área central do país

O deslocamento de uma frente fria sobre o litoral da Bahia, associada a alta convergência de umidade vinda do Oceano Atlântico, vai favorecer a ocorrência de fortes chuvas no norte da região Nordeste.

Baixar arquivo