Comitiva do governo vai visitar região castigada pela estiagem no Sul

Publicado em 22/02/2023 - 20:18 Por Oussama El Ghaouri - Repórter Rádio Nacional - Brasília

Uma comitiva de ministros do governo federal desembarca nesta quinta-feira no Rio Grande do Sul. A princípio, o grupo deve visitar a cidade de Hulha Negra, na fronteira com o Uruguai. A região é uma das mais castigadas pela estiagem que afeta o estado pelo terceiro ano seguido e que impacta a produção agropecuária. Até agora, dos 497 municípios gaúchos, pelo menos 322 decretaram situação de emergência. Ou seja, 64% deles.

Segundo o secretário de Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Sul, Giovani Feltes, o estado é um dos principais produtores do agronegócio do Brasil, com R$ 16 bilhões exportados no ano passado. E o setor é responsável por 40% de toda a riqueza produzida no estado. Mas a estiagem já deixa suas marcas de prejuízo na produção leiteira, de corte e também nas culturas de soja e no milho, como explica Feltes.

A expectativa é de que a comitiva de ministros anuncie medidas de auxílio que possam atender a um leque diversificado de necessidades, como explica o secretário.

Em entrevista à Agência Brasil nessa terça-feira, o ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, disse que 28 municípios do estado já tinham apresentado planos de prioridades no combate à estiagem. E que para atender a esses municípios foram disponibilizados R$ 6,4 milhões que estão sendo utilizados para liberação de carros pipas e a compra de cestas básicas.

Já do lado do estado, as medidas adotadas na semana passada, como a anistia dos produtores que tiveram a safra frustrada, se somam a outras em andamento desde 2022, de acordo com o secretário de Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Sul, Giovani Feltes.

Além do ministro da Integração e do Desenvolvimento Social, também devem integrar a comitiva que vai ao Rio Grande do Sul os ministros do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira; da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro; do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, e da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Paulo Pimenta.

Edição: Bianca Paiva / Alessandra Esteves

Últimas notícias
Geral

FAB está de prontidão para resgatar brasileiros em áreas de conflito

Após os ataques do Irã a Israel, o governo brasileiro informou que está pronto, caso necessário, para resgatar brasileiros na área de conflito. Em nota, a Força Aérea Brasileira afirma se manter em prontidão para atuar a qualquer hora e em qualquer local, assim que for acionada pelas autoridades.

Baixar arquivo
Internacional

Conselho de Segurança da ONU faz reunião de emergência neste domingo

A reunião acontece após pedido de Israel, que foi atacado pelo Irã na noite desse sábado (13). O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, já se manifestou condenando o ataque iraniano e pedindo “o fim imediato das hostilidades”.

Baixar arquivo
Geral

Lei que criminaliza bullying prevê pena de até quatro anos de prisão

O objetivo da lei, sancionada este ano, é inibir essa prática nas escolas e, principalmente, no mundo virtual, onde o Brasil está no topo da lista nesse assunto. Menores de idade podem ser responsabilizados pela Vara da Infância e da Juventude.

Baixar arquivo
Geral

Brasil pede esforço para conter escalada de tensão no Oriente Médio

O governo brasileiro manifestou grave preocupação com os relatos de envio de drones e mísseis do Irã em direção a Israel. O comunicado pede que todas as partes envolvidas exerçam máxima contenção e chama a comunidade internacional para mobilizar esforços e evitar uma escalada.

Baixar arquivo
Internacional

Ruas de Israel amanhecem vazias após ataques do Irã

Domingo é o primeiro dia da semana de trabalho em Israel. Depois de uma madrugada em claro, acompanhando ao vivo os ataques, os israelenses acordaram com uma sensação ambígua: o alívio pelo bom funcionamento do sistema de defesa, mas também o temor do que está por vir.

Baixar arquivo
Política

Renegociação de dívidas e PEC das Drogas agitam o Senado

PEC das Drogas, renegociação de dívida dos estados, revisão do Código Civil, Imposto de Renda. A semana vai ser cheia no Senado.

Baixar arquivo