Proporção de analfabetos cai para 6,6% em 2019; ainda há 11 milhões sem ler no país

IBGE

Publicado em 15/07/2020 - 12:01 Por Tâmara Freire - Rio de Janeiro

De 2018 para 2019, a taxa de analfabetismo no Brasil caiu de 6,8% para 6,6% da população acima de 15 anos. Mas isso significa que o país ainda tinha cerca de 11 milhões de pessoas que não sabiam ler ou escrever, apesar de já terem passado da idade comum para o aprendizado.

 

E, de acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira (15) pelo IBGE, este também é um problema regional e de raça. Mais de 56% das pessoas nessa situação viviam no Nordeste e, enquanto a taxa de analfabetismo entre os brancos cai para 3,6%, entre os negros, ela sobe para 8,9% e passa de um quarto da população preta ou parda com mais de 60 anos.

 

Mas, de maneira geral, os índices mostram redução das taxas com o passar dos anos. Em 2016, a proporção de analfabetos em todo o Brasil era de 7,2% e passava de 20% no caso das pessoas acima de 60 anos, chegando a 30,7%, considerando apenas a população negra idosa. No entanto, como explica a analista do IBGE Adriana Beringuy, isso não ocorreu com a intensidade planejada.

 

O suplemento sobre Educação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) mostra ainda outro desafio para o Brasil alcançar a erradicação: o crescimento da taxa conforme aumenta a faixa etária, passando para 11,1% entre as pessoas com 40 anos ou mais, e chegando a 18%, quando se considera apenas a população com mais de 60 anos, o que equivale a 6 milhões de pessoas, mais da metade do total de analfabetos do país.

 

De acordo com o IBGE, isso comprova que, com o passar dos anos, a maioria dos brasileiros passou a obter instrução na infância, mas também comprova a necessidade de de instruir, na idade adulta, quem não teve a oportunidade de estudar quando era criança.

 

O vendedor Onofre chegou a cursar a primeira série na infância, mas, no meio da segunda, aos 8 anos, precisou sair para trabalhar e ajudar a sustentar a família. Ele até recebeu a alfabetização básica, mas tinha dificuldades para se expressar e para compreender o que lia, e sofria discriminação por isso. Então, aos 46 anos, com a vida estabelecida e os filhos criados, concluiu que tinha chegado a hora de voltar a ser aluno.

 

Onofre é a prova de que erradicar o analfabetismo é apenas o primeiro passo já que mais da metade dos brasileiros acima de 25 anos não havia completado a educação básica em 2019, incluindo os 32,2% que tinham apenas o ensino fundamental incompleto.

 

E, novamente, as desigualdades pioram esse quadro, já que 57% dos brancos concluíram até o ensino médio, versus 41,8% dos negros. E essa proporção, que chegou a 54,5% no Sudeste, ficou abaixo de 40% no Nordeste. Entre as boas notícias, o percentual de pessoas com ensino superior completo, passou de 15,3% para 17,4% em três anos.

 

A média de anos de estudo da população brasileiro também avançou de 8,9 para 9,4, mas passou de dez anos no Sudeste, e chegando em 10,4 entre as pessoas brancas. Mas ficou em apenas 8,1 anos no Nordeste e 8,6, entre a população preta e parda.

Últimas notícias
Economia

Carlos França afirma que entrada do Brasil na OCDE trará investimentos

O ministro das relações exteriores, Carlos França afirmou que a entrada do Brasil na OCDE vai ajudar a trazer investimentos estrangeiros e criar um ambiente de negócios favorável ao país.

Baixar arquivo
Saúde

Boletim da Fiocruz aponta aumento de casos de covid em todo o país

São 25 unidades da federação que apresentam ao menos uma macrorregião de saúde com nível de casos semanais de Síndrome Respiratória Aguda Grave considerado muito alto ou extremamente alto. 

 

Baixar arquivo
Saúde

Hospitais federais do RJ vão receber mais 1.700 profissionais de saúde

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro tem cobrado a realização de concursos públicos para substituir de forma definitiva os profissionais que atuam com contratos temporários.

Baixar arquivo
Política

Voo com 211 brasileiros deportados dos EUA chega ao Brasil

Coordenadoria da Infância e Juventude do TJ-MG informou que 90 crianças que desembarcaram do voo humanitário estavam acompanhadas por pelo menos um responsável com vínculo biológico e que nenhuma precisou ir para abrigos.

Baixar arquivo
Geral

Trotes para serviços de emergência viram multa no Acre

Nos últimos três anos, o Acre registrou mais de 15 mil trotes. E esse não é um problema que atinge somente os serviços de urgência no estado.

Baixar arquivo
Economia

Aumento de contaminações por covid desacelera crescimento do turismo

A onda da pandemia de covid-19 provocada pela variante ômicron fez com que destinos turísticos muito procurados no país tivessem redução na oferta de voos diários ao longo do mês de janeiro.

Baixar arquivo