Na Trilha da História: Confira as diferenças da colonização nos EUA e no Brasil

Na Trilha da História

Publicado em 18/01/2017 - 16:41 Por Apresentação Isabela Azevedo - Brasília

Olá, eu sou a Isabela Azevedo e está começando mais um Na Trilha da História! Hoje, vamos fazer uma comparação da trajetória brasileira e norte-americana. Será que a História consegue explicar porque o Brasil e os Estados Unidos se tornaram os países que são hoje?

 

Nosso convidado é o historiador Antônio Barbosa, doutor em História pela Universidade de Brasília, onde também é professor. O primeiro tema é colonização. Enquanto o Brasil foi colonizado por portugueses e espanhóis, os Estados Unidos foram colonizados pela Inglaterra. Será que isso influencia muito?

 

Sonora: "A questão não é quem nos colonizou, mas como a colonização foi feita. E aí nós temos uma diferença monumental entre as duas experiências históricas."

 

No Brasil, a colonização foi principalmente de exploração.

 

Sonora: "No caso do Brasil, a colonização foi feita a partir dos Estados Europeus Portugal e Espanha. Então havia ali um objetivo claramente traçado para amealhar riquezas neste novo mundo, sugar tudo o que a América pudesse oferecer para que esses países se enriquecessem lá na Europa."

 

Já nos Estados Unidos, a colonização foi principalmente de povoamento.

 

Sonora: "No caso da América do Norte, nós tivemos grupos de famílias inglesas que vão fugir da intolerância religiosa, da perseguição política e vão tentar do outro lado do Atlântico reconstruir suas vidas em novas bases."

 

Os processos de independência do Brasil e dos Estados Unidos também têm diferenças importantes. Os norte-americanos se declararam independentes da Inglaterra em 4 de julho de 1776. Tudo começou quando o governo inglês decidiu aumentar os impostos que cobrava das treze colônias norte-americanas.

 

Sonora: "Ou seja, se nós não temos representação lá no parlamento britânico, nós não somos obrigados a aceitar impostos e mais impostos que recaem sobre nós. Repare que eles não estavam falando sobre independência. Olha que coisa interessante. A independência só aconteceu porque a Inglaterra reagiu de forma muito violenta e aí para reagir à violência dos ingleses, as treze colônias se reuniram e declararam a sua independência."

 

Enquanto nos Estados Unidos a independência foi um movimento que mobilizou toda sociedade, no Brasil, ela foi proclamada por Dom Pedro I em 1822, com o apoio das elites do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. Mas isso não quer dizer que não houve embate entre o povo brasileiro e os portugueses.

 

Sonora: "É assim que o Brasil independente. Se você me perguntar se o povo de alguma forma participou, vou dizer que esporádica e pontualmente. No caso do Pará, por exemplo, os paraenses pegaram em armas contra os portugueses, havia um destacamento português forte lá. É o caso do Piauí, que pouca gente sabe... Será que já ouviram falar da Batalha do Jenipapo? Piauienses do interior pegam paus e pedras pra enfrentar tropas portuguesas."

 

E não dá para deixar de citar o papel dos baianos na consolidação da independência brasileira.

 

Sonora: "E finalmente, o mais conhecido episódio de manifestação popular foi a Bahia. Porque só no dia dois de julho de 1823 que os portugueses foram definitivamente expulsos do Recôncavo Baiano."

 

Agora o assunto é escravidão. O professor Antônio Barbosa destaca a falta de empenho do Brasil para integrar os ex-escravos na sociedade.

 

Sonora: "Nós acabamos com a escravidão, com o trabalho compulsório e com o trabalho obrigatório, mas não demos as mínimas condições para que os antigos escravos fossem socializados. Isto é: atingissem o que hoje nós chamamos de cidadania. Para eles vão sobrar as piores escolas, quando elas existiam, os piores empregos e os piores salários. Foi um trabalho de abolição da escravidão que durou demais, o Brasil foi o último país do Ocidente a acabar com a escravidão, isso é uma loucura, e que na verdade foi incompleto."

 

Quanto aos Estados Unidos, o historiador lembra que o fim da escravidão por lá foi o resultado de uma guerra civil.

 

Sonora: "Ali, na verdade, estavam dois projetos de nação em jogo: o projeto sulista, caracterizado por aqueles elementos que vieram da colônia, o latifúndio, a monocultura, a escravidão; e o centro-norte, com o espírito empreendedor, capitalista, voltado para a valorização do indivíduo, para a liberdade individual. Não houve consenso. Foi necessário ir à guerra. A guerra civil, a Guerra de Secessão, de separação do sul do norte, mergulhou os Estados Unidos numa mancha de sangue que deitou raízes."

 

Esta foi a versão reduzida do Na Trilha da História. O episódio completo tem 55 minutos e traz, além da entrevista na íntegra com o historiador Antonio Barbosa, uma trilha sonora escolhida especialmente para o tema da semana. Para ouvir, acesse: radios.ebc.com.br/natrilhadahistoria. Se você tiver sugestões de assuntos para o programa, envie um e-mail para culturaearte@ebc.com.br.

 

Até semana que vem, pessoal!

 

Na Trilha da História: Apresenta temas da história do Brasil e do mundo de forma descontraída, privilegiando a participação de pesquisadores e testemunhas de importantes acontecimentos. Os episódios são marcados por curiosidades raramente ensinadas em sala de aula.

Últimas notícias
Geral

Cristo Redentor ganha iluminação especial na cor laranja

O tom escolhido para irradiar o icônico ponto turístico faz uma alusão ao Dia Municipal de Redução do Risco de Desastres.

Baixar arquivo
Economia

Doação de pessoa para campanha via PIX só pode ser feita pelo CPF

A decisão por unanimidade foi do plenário do Tribunal Superior Eleitoral na sessão desta sexta-feira.

Baixar arquivo
Saúde

Novos casos de Varíola dos Macacos foram confirmados no Rio de Janeiro

Com isso subiu para treze o número de notificações oficiais, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde.

Baixar arquivo
Internacional

Terremoto de magnitude 6,0 deixa pelo menos cinco mortos no Irã

O Irã está localizado à beira de várias placas tectônicas e é atravessado por falhas. O que faz o país ter uma alta atividade sísmica.

Baixar arquivo
Cultura

Cem anos do rádio no Brasil: os programas de calouros

O primeiro programa de calouros do rádio brasileiro, A Hora dos Calouros, foi criado na Rádio Cruzeiro do Sul, em São Paulo. Os concursos faziam as audiências aumentarem consideravelmente e, junto com elas, as verbas publicitárias.

Baixar arquivo