Do tijolão ao smartphone, a história dos 30 anos do celular no Brasil

País tem 234 milhões de aparelhos, número maior que o de habitantes

Publicado em 02/01/2021 - 10:47 Por Kariane Costa - Brasília

A chegada do celular ao Brasil foi em 1990. Um sucesso! Mas com cerca de 20 anos de atraso em relação a países como Estados Unidos. Naquela época, era difícil imaginar que 30 anos depois o país teria mais celulares que habitantes. Hoje são 234 milhões de smartphones nas mãos dos brasileiros.

Demoraria três anos para o Motorola PT-550, conhecido como ‘tijolão’, fosse o primeiro celular vendido no país. O preço, em tempos atuais, seria o equivalente a R$ 15 mil.

De lá cá pra foram vários modelos e a tecnologia foi se aprimorando. Mas, nem assim, atraiu o aposentado Cícero Ferreira.

Se o aposentado Cícero não gosta, a Maria Eduarda de 12 anos, que ganhou o primeiro celular aos 7, não consegue imaginar a vida sem um aparelho.

Quando a pequena Eduarda nem sonhava em nascer, em 1996, surgiu o celular Motorola StarTAC, bem pequeno, ele abria e fechava. Era a febre do momento entre os consumidores e marcava a popularização do telefone no Brasil.

No final dos anos 90, a marca que dominava as vendas era a Nokia. E quem não se lembra do Motorola que tinha o jogo da cobrinha?

A história do celular teve alguns marcos. Nos anos 2000, vieram os primeiros com câmara. Dois anos depois, chegava o Blackberry, este revolucionou o mercado, já que podia enviar e-mail. O dispositivo já não servia apenas para mandar mensagem ou ligar, ia além. Uma tecnologia que mudaria para sempre vidas como a de João Rocha.

O tempo passou e chegamos a 2007. Nos Estados Unidos, apareceu o Iphone, outro marco da telefonia celular. E ali começou a despontar a diferença entre o sistema da Apple e o operacional Android.

Segundo Vivaldo Breternitz, professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie, hoje, existe uma ascensão no mercado internacional de fabricação de telefones chineses. E o futuro? O professor vislumbra a preferência por celulares com telas maiores.

Vivaldo Breternitz explica ainda que em 2013, motivado pela Copa do Mundo, a chegada do 4 G no Brasil permitiu comunicação muito mais moderna e trouxe inúmeros ganhos às empresas, ao mercado e a vida do brasileiro.

Por outro lado, o professor Breternitz destaca que já está acontecendo em outros países a tecnologia 5G. Na sua avaliação, o Brasil já está ficando pra trás.

A Anatel prevê leilão do 5G no final do primeiro semestre de 2021, para definir qual empresa vai implementar a tecnologia no país. A 5G de internet móvel, em sua máxima potência, deverá oferecer altíssimas velocidades de internet.

Até 20 vezes maiores do que a 4G, além de maior confiabilidade e disponibilidade. Essa tecnologia terá também capacidade para conectar um número significativo de aparelhos ao mesmo tempo.

 

 

* Produção de Michele Moreira

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Geral

Prefeitura reabre o Vale do Anhangabaú para atividades públicas

Decisão só foi possível porque cerca de 80% da população da cidade de São Paulo com 18 anos ou mais já tomou, pelo menos, uma dose da vacina contra covid-19.

Baixar arquivo
Geral

Anvisa decide não analisar pedido de uso emergencial da Covaxin

A agência reguladora já havia suspendido os estudos clínicos da vacina no país, sendo que a aplicação em voluntários brasileiros nem chegou a ocorrer.

Baixar arquivo
Esportes

Vôlei feminino do Brasil estreia com vitória nos Jogos Olímpicos

Além das competições, destaque vai para a aproximação de uma tempestade tropical que, dependendo de como atingir o Japão, a agenda olímpica poderá ser suspensa.

Baixar arquivo
Geral

Brasil recebe mais 2,1 milhões de vacinas da Pfizer contra a covid-19

Entregas fazem parte de 13 milhões de doses até o dia 1º de agosto, provenientes do primeiro contrato assinado entre a Pfizer e o governo federal em março.

Baixar arquivo
Esportes

Brasileiros conquistam as primeiras medalhas nas Olimpíadas de Tóquio

Kelvin Hoefler fez história ao participar do primeiro pódio olímpico do skate e o estreante Daniel Cargnin garantiu medalha no judô ao vencer israelense por waza-ari.

Baixar arquivo
Geral

Ilha de Paquetá, Rio, vacina hoje adolescentes contra covid-19

A ação com cerca de 400 adolescentes é mais uma etapa do projeto PaqueTá Vacinada, da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz.

Baixar arquivo