MP investiga suposta fura-fila da vacina contra Covid-19 em Manaus

Denúncias citam filhas de empresário imunizadas após nomeação

Publicado em quarta-feira, 20 Janeiro, 2021 - 20:54 Por Kariane Costa - Brasília

Diante de denúncias de que políticos e parentes estariam furando a fila da vacina contra a Covid 19 no Amazonas, os Ministérios Públicos do Estado, de Contas e do Trabalho, em conjunto com as Defensorias Públicas da União e do Estado decidiram investigar o suposto desvio de doses na região.

Nesta primeira etapa, a imunização é destinada somente a profissionais de saúde que estão na linha de frente, idosos que moram em asilos e indígenas aldeados. No entanto, relatos invadiram as redes sociais de que está havendo aplicação das vacinas em pessoas que não pertencem aos grupos prioritários.

A polêmica começou após duas médicas, filhas de um empresário do ramo da educação no Amazonas, tomarem a vacina contra a Covid-19 logo após serem nomeadas para trabalhar na área administrativa de uma Unidade Básica de Saúde na segunda-feira, dia que chegaram as vacinas ao estado.

Nas redes sociais, as profissionais afirmam que atuam na linha de frente da unidade batizada com o nome do pai das médicas, que é dono de uma Universidade e das Escolas Nilton Lins.

Pela rede social, o prefeito de Manaus, Davi Almeida, negou que a prefeitura tenha cometido um ato ilícito, e argumentou que começou a vacinação pelas Unidades Básicas de Saúde porque não havia chegado ainda o planejamento estadual para os hospitais da região.

O prefeito não especificou se as duas médicas em questão trabalhavam atendendo pacientes, já que foram nomeadas para gerenciar projetos. Mas defendeu que elas estavam no plantão.

O governo do Amazonas divulgou nota afirmando que apenas distribui as vacinas, e que a aplicação é feita pelas prefeituras.

A recomendação dos Ministérios Públicos e também das Defensorias é para que as secretarias de Saúde do Estado e do Município de Manaus, ao aplicarem essas primeiras doses, priorizem aqueles que estão em situação de maior vulnerabilidade. Por exemplo, os profissionais de saúde idosos, que apresentam comorbidades.

E as denúncias em Manaus não são um caso isolado. Em Pombal, a 370 km de João Pessoa, Paraíba, o prefeito da cidade, Abmael de Sousa Lacerda, do MDB, foi o primeiro a tomar a vacina da Covid-19, mesmo sem estar no grupo prioritário para receber a dose da CoronaVac. O prefeito é médico e tem 66 anos, mas não atua na linha de frente no combate à pandemia.

Também no Nordeste, no município de Itabi, em Sergipe, o prefeito Júnior de Amynthas, do partido Democratas, foi o primeiro a receber a vacina.

Em Jupi, Pernambuco, os primeiros vacinados foram a secretária de Saúde, Maria Nadir Ferro, e o fotógrafo oficial da prefeitura. Os dois também não fazem parte do grupo prioritário.

E em Candiba, no centro-sul baiano, o prefeito Reginaldo Prado, do PSD, foi uma das duas primeiras pessoas a tomarem a vacina contra a Covid-19, mesmo sem fazer parte do grupo prioritário.

Até o fechamento desta reportagem, não conseguimos contato com as prefeituras citadas.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Educação

MPDFT pede volta de aulas presenciais na rede pública de ensino

No processo, o MP defende que a educação deve ter seu retorno definido como prioridade pelo governo local, por considerar uma atividade essencial. Também pede a retomada das aulas presenciais de forma escalonada, progressiva e facultativa aos pais e responsáveis, sendo respeitados todos os protocolos de segurança sanitária nos ambientes escolares para impedir a propagação da covid-19.

Baixar arquivo
Política

Senado deve votar hoje PEC sobre retomada do auxílio emergencial

A proposta é a que abre caminho para a volta do auxílio emergencial, que será pago em 4 parcelas mensais de R$250, segundo a previsão do governo.

Baixar arquivo
Esportes

Copa do Nordeste: Fortaleza e CRB se enfrentam nesta quarta-feira

Hoje tem jogo pela Copa do Nordeste: Fortaleza e CRB. 

Confira também os jogos pelos campeonatos estaduais marcados para esta quarta-feira (3), com Bruno Mendes. 

Baixar arquivo
Política

Empresas privadas poderão comprar vacina contra a covid-19

Projeto foi aprovado na Câmara e segue para sanção presidencial.  O texto aprovado pelos deputados estabelece que enquanto durar a vacinação dos grupos prioritários, as doses compradas pela iniciativa privada deverão ser integralmente doadas ao SUS.

Baixar arquivo
Saúde

Governadores pedem ação integrada para combate à covid-19

Ao longo do dia, os governadores também estiveram com representantes do Ministério da Saúde. E ouviram da presidente da Comissão de Orçamento, a deputada Flávia Arruda, do PL, a promessa de receberem R$14,5 bilhões  em emendas parlamentares destinadas ao Sistema Único de Saúde.

Baixar arquivo
Política

Não há crise entre o Brasil, China e Estados Unidos, diz ministro

O ministro das relações exteriores, Ernesto Araújo, afirmou hoje que não há crise entre o Brasil, China e Estados Unidos. Na coletiva de imprensa sobre a política externa, realizada, nessa terça (02), Araújo disse que a crise com embaixador chinês no país está superada.

Baixar arquivo