Desastre em Brumadinho: após 2 anos, famílias ainda aguardam Justiça

Parentes cobram punição de responsáveis e corpos de 11 desaparecidos

Publicado em segunda-feira, 25 Janeiro, 2021 - 20:52 Por Gésio Passos - Brasília

Dois anos após uma das maiores tragédias do país, familiares das vítimas do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, Minas Gerais, cobram justiça e reforço nas buscas dos corpos de 11 pessoas que continuam desaparecidas. 259 vítimas foram localizadas até agora.

A Associação dos Familiares de Vítimas e Atingidos do Rompimento da Barragem da Mina Córrego do Feijão (Avabrum) realizou uma missa e um ato nesta segunda-feira para homenagear os mortos no desastre. Também foi organizada uma carreata pedindo agilidade da Justiça no julgamento dos responsáveis pela tragédia. Natália de Oliveira, diretora da Avabrum e irmã de uma desaparecida, participou do ato.

O governo de Minas também realizou, nessa segunda-feira, uma cerimônia em homenagem às vítimas na base dos bombeiros em Brumadinho.

Além das 270 vítimas registradas oficialmente, a Associação dos Familiares ainda considera mais duas mortes, porque duas mulheres que perderam a vida no rompimento da barragem estavam grávidas.

A associação critica os recursos repassados pela Vale para pagamento de lucros aos seus acionistas – cerca de R$ 20 bilhões desde que ocorreu a tragédia. Segunda a mineradora, nesse período foram pagos R$ 3,7 bilhões em indenizações e auxílios emergenciais aos atingidos na tragédia.

A engenheira civil Josiane Melo, presidente da Avabrum, que perdeu uma irmã grávida na tragédia, diz que a distribuição dos lucros desrespeita os mortos em Brumadinho.

A Vale logo se recuperou das perdas com a tragédia de Brumadinho, em 2019. Considerando os balanços dos 3 primeiros trimestres de 2020, o lucro líquido acumulado da mineradora é de quase R$ 22 bilhões.

O governo de Minas Gerais e as instituições de Justiça ainda tentam um acordo com a Vale para indenização das vítimas e do Estado, e têm até sexta-feira para isso. Caso não haja acordo, o processo volta a ser julgado na 1ª instância da Justiça mineira.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Economia

Prazo para prestar conta com o Leão começa nesta segunda-feira

Começa a correr nesta segunda-feira (01) o prazo para a apresentação das contas ao Leão. O contribuinte pode entregar a Declaração do Imposto de Renda até o dia 30 de abril e precisa ficar atento a algumas mudanças.

Baixar arquivo
Saúde

Dia Mundial da Doença Raras marca importância do diagnóstico

No dia em que se celebra o Dia Mundial da Doença Rara nós temos uma missão, identificar a complexidade dessa luta junto à entidades, órgãos governamentais e pacientes.

Baixar arquivo
Geral

Chuvas fortes causaram estragos em várias regiões do país em fevereiro

Fevereiro se despede com chuvas fortes que causaram estragos em várias regiões do Brasil. O mapa meteorológico do país durante o mês ficou todo marcado com as cores amarela, laranja e vermelha, em alerta de perigo por causa da quantidade de chuvas.

Baixar arquivo
Saúde

Novo decreto do governador do DF visa para diminuir aglomerações

O Distrito Federal entrou em lockdown neste domingo (28), valendo até o dia 15 de março. O novo decreto do governador Ibaneis Rocha, publicado nesse sábado, é para diminuir as aglomerações, já que faltam leitos hospitalares para covid-19.

Baixar arquivo
Economia

Postos de combustíveis vão receber dispositivo de certificação digital

Quem tem carro, moto ou caminhão sabe que as despesas com o combustível estão pesando cada vez mais no bolso.

Baixar arquivo
Geral

Pará entra no período de alta safra da pupunha e produção do palmito

Em época de alta safra da pupunha no Pará, especialista chama a atenção para mais investimentos neste mercado. 

Os detalhes com João Paulo Seabra Rádio Cultura FM de Belém. 

Baixar arquivo