Polícia Federal investiga crimes contra o Sistema Financeiro Nacional

Investigação aponta para fraude de R$ 2,5 bilhões

Publicado em 11/05/2021 - 14:48 Por Beatriz Albuquerque - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (11) a Operação Black Flag, para apurar crimes contra o Sistema Financeiro Nacional e de lavagem de dinheiro, que envolvem cerca de R$2,5 bilhões. A organização criminosa investigada montou uma rede com pessoas físicas e jurídicas fictícias, para movimentar valores fraudulentos. Os suspeitos têm um alto padrão de vida, com veículos de luxo, imoveis, lanchas e patrocínio de esporte automobilístico.

Para proteger seus integrantes de ações fiscais, essa organização criminosa criou empresas que assumiram a propriedade dos bens. A Receita afirma que os créditos já ultrapassam os R$150 milhões. A origem dos recursos do esquema é pública, já que a primeira empresa fictícia obteve um contrato com uma agência de fomento econômico estatal e outro com a Caixa Econômica Federal, no valor total de R$73 milhões  na época do fato, em 2011, o que, em valores corrigidos, equivale a aproximadamente R$100 milhões.  

220 policiais federais e 50 servidores da Receita Federal participaram da operação, nos estados de Ceará, São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.  Foram cumpridos 15 mandados de prisão e 70 mandados de busca e apreensão. R$ 261 milhões foram bloqueados, além do congelamento de bens móveis e imóveis.  Ainda como parte da operação, um policial federal foi afastado do exercício do cargo.

A investigação, que teve a participação da Polícia Federal, Receita Federal e Ministério Público Federal, começou há dois anos. A Receita identificou ações fiscais e movimentações financeiras suspeitas, o que levou à descoberta da fraude. 

Os envolvidos devem responder pelos crimes de lavagem de dinheiro, crimes contra o sistema financeiro, contra a ordem tributária, estelionato, falsidade ideológica e material e organização criminosa.


 

Edição: Nádia Faggiani/ Adrielen Alves

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Educação

EAD em faculdades particulares deverá crescer mesmo depois da Pandemia

Na década que vai de 2010 a 2019, o número de matrículas no ensino superior particular no Centro-Oeste aumentou 13% nas carreiras ligadas ao agronegócio e 8% nos cursos de saúde e engenharia.

Baixar arquivo
Economia

Aprovada MP que amplia prazo de remarcação de serviços de turismo

Senadores aprovaram nessa quarta feira  a Medida Provisória  que amplia o prazo para remarcação e reembolso de serviços nos setores de turismo e cultura não realizados em 2020 e 2021 em virtude da pandemia da covid-19.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Fórum Empresas com Refugiados é lançado para ajudar essa população

O Fórum Empresas com Refugiados, lançado nessa quarta-feira, pela Acnur - a Agência da ONU para Refugiados- e pela Rede Brasil do Pacto Global, foi criado para ajudar refugiados a ingressar no mercado de trabalho brasileiro.

Baixar arquivo
Segurança

Homícidios dolosos no Rio caem 9% em 2021

Os homicídios dolosos no estado do Rio de Janeiro caíram 9% nos cinco primeiros meses deste ano, na comparação com igual período de 2020. Foram 1.495 mortes, o menor valor para o período desde 1991, quando teve início a série histórica do Instituto de Segurança Pública.

Baixar arquivo
Saúde

Vacina contra covid:trabalhador de transporte coletivo terá prioridade

Trabalhadores do transporte coletivo foram incluídos no grupo prioritário para receber a vacina contra o novo coronavírus.

Baixar arquivo
Economia

Exigência de vacina para emprego é discriminação, diz MPT

Um anúncio publicado em um site de ofertas de emprego gerou questionamentos após a vaga exigir como requisito para contratação que o candidato fosse imunizado contra a Covid 19 com a vacina da farmacêutica Pfizer. 

Baixar arquivo