Brasil se comove com a morte de Jô Soares

Publicado em 05/08/2022 - 20:03 Por Eliane Gonçalves - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

O Brasil perdeu nessa sexta-feira o jornalista, humorista, escritor, ator e diretor Jô Soares.

Jô Soares estava internado no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, desde o final de julho, para tratar de uma pneumonia. Morreu na madrugada dessa sexta-feira, às 2h30.

A notícia comoveu o país.

Artistas, políticos e anônimos homenagearam Jô Soares relembrando suas tiradas de humor elegante e popular.

José Eugênio Soares estreou na TV em 1956, no programa Praça da Alegria, da TV Record. Quinze anos depois estreava seu primeiro programa na TV Globo: Faça Humor Não Faça Guerra e abriu caminho para uma série de personagens icõnicos, como o doutor Souza Pacheco que só completava uma frase depois de um gole no uísque.

Na década de 1980, já muitos quilos acima do peso, estreou o programa Viva o Gordo e assumiu de vez a característica física como identidade.

Jô Soares usou de ironia fina para fazer a crítica social e política e antecipar tendências, como os aplausos do operário Zé para a inflação.

E se mostrou à frente do seu tempo com figuras como o Capitão Gay, defensor da diversidade.

Fez história ao juntar no mesmo sofá Nair Bello, Lolita Rodrigues e Hebe Camargo.

Ele também fez teatro, foi diretor de cinema, publicou 7 livros, além de uma autobiografia dividida em dois volumes e estava preparando um último romance policial.

Jô Soares morreu aos 84 anos. A pedido da família o hospital não divulgou a casa da morte. Também não foi divulgado o local do velório e sepultamento que está restrito a amigos e familiares. O governo de São Paulo decretou luto oficial de três dias.

Edição: Roberto Piza / Beatriz Arcoverde

Últimas notícias
Geral

Concurso da Caixa terá quatro mil vagas

A previsão é de duas mil vagas para técnicos bancários e as outras duas mil para técnicos da área de tecnologia.

Baixar arquivo
Política

STF retoma julgamento de ações que questionam “sobras eleitorais”

Decisão do Supremo pode fazer sete deputados federais perderem o mandato, além de interferir nas eleições para vereador, ainda neste ano

Baixar arquivo
Política

Pacheco fala em acordo pela desoneração da folha de 17 setores

Presidente do Senado se reuniu com Haddad e Padilha e declarou que o acordo com o governo foi pela retirada da reoneração dos setores da Medida Provisória 1202

Baixar arquivo
Segurança

Apreensão de menores sem ordem judicial volta a ser proibida no Rio 

Em acordo mediado pelo STF, governo do Rio de Janeiro e prefeitura da capital se comprometeram a apresentar em até 60 dias um plano de repressão e abordagem social que não viole os direitos das crianças e dos adolescentes. 

Baixar arquivo
Economia

Setores da economia divulgam manifesto a favor da desoneração da folha

Governo quer aumentar a arrecadação com a reoneração da folha de pagamento. Segundo o ministério da Fazenda, desonerar, como querem os empresários, é deixar de arrecadar R$ 20 bilhões por ano. Para Fernando Haddad, uma saída é reonerar os setores de forma gradativa

Baixar arquivo
Cultura

Dia do Imigrante Italiano homenageia intensa troca cultural com Brasil

Entre os imigrantes, estavam os trabalhadores nas lavouras, inclusive do café, arquitetos, artistas plásticos, padres, alfaiates, além daqueles que iriam mais tarde ajudar a indústria nacional.

Baixar arquivo