Mãe poderá concluir curso de medicina perto da família, decide Justiça

Decisão é do Tribunal Regional Federal da 1ª Região

Publicado em 08/05/2021 - 17:08 Por Beatriz Albuquerque - repórter da Rádio Nacional - Brasília

Ser médica, casar e ter filhos. Esses eram os sonhos da Ana Luísa Guedes. Em 2018, tudo parecia estar indo exatamente como planejou: a brasiliense passou no vestibular e estava cursando medicina numa universidade federal em Niterói. Para isso, teve que deixar casa, família e amigos em Brasília e se mudar para a cidade carioca. Um ano depois, a surpresa: Ana Luisa estava grávida, com apenas 20 anos, no meio da faculdade e longe de toda sua rede de apoio. Ela decidiu concluir mais 2 semestres, voltar para Brasília e ter o bebê perto da família. A estudante conta que não conseguiria se manter lá por questões financeiras e familiares.

De volta a Brasília, ela tentou a transferência para uma universidade de Goiânia, mas os pedidos foram indeferidos. Foi aí que ela precisou acionar a Justiça para tentar continuar o curso de medicina numa faculdade perto da família. Ana Luisa disse que ficou surpresa e muito feliz com a decisão da justiça de autorizar a transferência para Goiânia e garante que isso mudou, para melhor, a sua trajetória como mãe e estudante, sem precisar abrir mão de nenhum dos seus sonhos.

Eduardo Sánchez foi o advogado que representou a Ana Luisa nesse processo. Ele conta que explicou para a família da estudante que não havia uma lei específica para o caso, mas que o pedido de transferência se basearia nos princípios da proteção ao direito à educação, à proteção à maternidade e à família. E deu certo. O Tribunal Regional Federal da 1ª Região garantiu a Ana Luisa a transferência para o curso de medicina na Universidade Federal de Goiás.

O advogado garante que essa decisão representa a garantia do direito das estudantes que se tornam mães durante a faculdade em continuarem a seguir com seus projetos profissionais, sem abrir mão do suporte familiar necessário para isso. 

E toda essa história que a Ana Luisa viveu inspirou a estudante a criar uma página na internet para encorajar outras mães a não desistirem dos seus sonhos. Para conhecer um pouco mais dessa trajetória, basta acessar o perfil @medbymom, no Instagram.


 


 

Edição: Leila Santos/Adrielen Alves

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Economia

Câmara aprova desestatização da Eletrobras

O texto-base da medida foi aprovado por 258 votos a 136. A medida já havia sido aprovada pela Câmara, mas sofreu alterações no Senado na semana passada e, por isso, precisou passar por nova votação dos deputados.

Baixar arquivo
Saúde

Covid-19: Queiroga diz que adultos serão vacinados até setembro

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, prometeu nesta segunda-feira vacinar toda população adulta contra o coronavírus com pelo menos uma dose até setembro. Nesta segunda-feira chegou a 501 mil o número de mortos pela covid -19.

Baixar arquivo
Política

Ministros do TSE esclarecem segurança da urna eletrônica a deputados

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral receberam durante a tarde um grupo de deputados federais que fazem parte da comissão especial que discute a Proposta de Emenda à Constituição do voto impresso. Eles conheceram detalhes do sistema de votação eletrônica.

Baixar arquivo
Saúde

Grávidas e puérperas já podem ser vacinadas no DF contra a covid-19

As grávidas e as mulheres que ainda estão no período de resguardo pós parto, de 45 dias -  as puérperas - já podem ser vacinadas no Distrito Federal contra a covd-19. Mas é preciso se cadastrar no sistema de agendamento da Secretaria de Saúde.

Baixar arquivo
Saúde

Covid-19: Pesquisa aponta que vacinação evitou 40 mil mortes de idosos

Pesquisa aponta que este ano vacinação já evitou mais de 40 mil mortes de idosos pela covid-19 no Brasil. Os cálculos,indicam que sem a vacinação, a tendência era que em 2021, nos seis primeiros meses, o número de mortes de idosos com mais 70 anos ultrapassaria os 90 mil.

Baixar arquivo
Geral

Em 2019, 1,8 milhão de crianças foram submetidas ao trabalho infantil

1,8 milhão de crianças e adolescentes foram submetidas ao trabalho infantil em 2019, e o trabalho infantil tem um perfil de cor e idade.

Baixar arquivo