Haiti: vácuo no poder abriu espaço para criminosos, diz especialista

Publicado em 04/03/2024 - 19:24 Por Gabriel Brum - repórter da Rádio Nacional - Brasília

Um vácuo de poder abriu espaço para gangues criminosas agirem contra as instituições de estado haitianas, na opinião de um dos principais especialistas brasileiros sobre o Haiti.

Nesse fim de semana, criminosos atacaram duas penitenciárias na região de Porto Príncipe, libertando cerca de quatro mil presidiários.

Para o doutor em Relações Internacionais e autor de três livros sobre o Haiti, Ricardo Seitenfus, o que aconteceu já vinha sendo gerado desde o assassinato em 2021 do presidente Jovenel Moïse.

"Houve um vazio de poder. Houve uma contestação do primeiro-ministro designado pelo então presidente Jovenel Moise antes de ser assassinado. Contestado pelas oposições e que não se entendem com o grupo que está no poder para organizar eleições e para ter um governo de união nacional. É assim que funciona o Haiti. Mais uma anarquia do que uma sociedade organizada do ponto de vista político". 

Para Seitenfus, políticos podem estar se aproveitando das ações das gangues criminosas para chegar ao poder. O que é um erro. "Todos estão de olho no poder sem passar por eleições. Agora é muita ingenuidade confiar nas boas intenções dos chefes de gangues. E isso a oposição está confiando. E dificultou, até o momento, a chegada de uma força multinacional para combater as gangues". 

A nova missão internacional que chegar ao país, vai encontrar uma situação bem pior do que a Minustah, que ficou no país entre 2004 e 2017. "A situação de hoje no Haiti é muito pior do que de 2004. Porque a força multinacional que deverá ir ao Haiti vai encontrar adversários à altura, armados, jovens delinquentes, assassinos frios, sobretudo na região metropolitana de Porto Príncipe. Vai haver combate de rua. Vai haver guerrilha urbana".

O especialista explica que o Haiti não sofre apenas com a violência das gangues. Segundo ele, a população convive com altas taxas de desemprego, analfabetismo e a dificuldade de organizar politicamente o país. O Haiti tem 266 partidos políticos.

Saiba mais

Brasil fecha embaixada no Haiti por causa da violência

 

 

Edição: Nadia Faggiani / Liliane Farias

Últimas notícias
Economia

MS: Lula visita JBS e comemora exportação de carne para China

Em 2023, quase 40% de toda a carne vendida pelo Brasil foi para a China; o que rendeu mais de U$ 8 bilhões ao nosso país.

Baixar arquivo
Saúde

Abril lilás: câncer de testículo matou quase 4 mil entre 2012 e 2021

O Instituto Nacional de Câncer aponta que o câncer de testículo corresponde a 1% dos tumores masculinos no mundo. Apesar de raro, ele preocupa porque afeta mais homens em idade produtiva.

Baixar arquivo
Geral

São Paulo sanciona lei sobre uso do cordão de girassol

O uso do cordão, que é uma espécie de colar verde com desenhos de pequenos girassóis, facilita a rápida identificação de pessoas com deficiências que podem não ser percebidas de imediato, como auditivas, visuais e intelectuais.

Baixar arquivo
Segurança

Polícia Civil prende suspeitos de negociar armas furtadas do Exército

Depois de uma denúncia anônima, a polícia localizou a dupla em um condomínio de luxo em Santana de Parnaíba (SP) e cumpriu mandado de prisão temporária. 

Baixar arquivo
Saúde

Aumenta o número de internações por dengue em hospitais privados de SP

Levantamento realizado pelo SindHosp mostra que aumento ocorreu tanto nos leitos clínicos, como nas UTIs dos hospitais particulares de São Paulo.  

 

Baixar arquivo
Saúde

Dia D de vacinação contra gripe será neste sábado em todo o Brasil

Várias cidades do país realizam neste sábado (13) um Dia D de vacinação contra a gripe. A expectativa do Ministério da Saúde é vacinar 75 milhões de pessoas. 

Baixar arquivo