Ministro Fux sugere que pedágio da linha amarela fique em R$4,00

Publicado em 05/04/2021 - 21:56 Por Fabiana Sampaio, Repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, sugeriu que a empresa concessionária da Linha Amarela, uma das principais vias expressas do Rio de Janeiro, restabeleça o controle da via com a cobrança de pedágio  temporário com de R$4,00.

O valor seria mantido até a realização de uma perícia, que teria 90 dias para ser concluída.. A proposta foi feita durante audiência de conciliação virtual realizada nesta segunda-feira.

De acordo com o STF, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, concordou com a sugestão. O advogado da concessionária Lamsa pediu 48h para consultar a viabilidade da empresa  manter o serviço com a tarifa temporária sugerida por Fux.

Caso a empresa aceite a proposta, o ministro vai oficiar  a 6ª Vara de Fazenda Publica do Estado para iniciar a perícia. Se houver recusa, o processo segue para julgamento no Plenário do Supremo.

A cobrança do pedágio da Linha Amarela é alvo de disputa judicial desde outubro de 2019, quando o então prefeito, Marcelo Crivella, rompeu o contrato de concessão com a Lamsa e mandou derrubar as cancelas.

Um ano depois, o Superior Tribunal de Justiça autorizou a retomada dos serviços pela  administração publica e até hoje o pedágio não é cobrado. Antes o  valor  era de R$7,05 para cada sentido da via.

No início de março,  o presidente do STF suspendeu cautelarmente essa decisão, por entender que havia risco de grave lesão à ordem e à economia públicas.

Essa foi a segunda audiência de conciliação entre as partes realizada pela Corte. Em nota, a concessionária Lamsa informou que avalia a proposta de tarifa provisória sugerida pelo presidente do STF, ministro Luiz Fux, e que vai comunicar a decisão até esta quarta-feira.

 

 

Fabiana Sampaio dos Santos

Edição: Beatriz Arcoverde

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Pesquisa e Inovação

Covid-19: vacina pesquisada em MG tem resposta positiva em camundongos

Pesquisa é desenvolvida por pesquisadores da Fiocruz e da Universidade Federal de Minas Gerais. Fase atual é de testes em macacos.

Baixar arquivo
Cultura

Museu Nacional do RJ inaugura mostra virtual sobre povos indígenas

A diversidade e a cultura dos povos indígenas poderão ser vistas em uma mostra virtual do Museu Nacional no Rio de Janeiro, por meio de painéis históricos, musicas, filmes e fotografias. A exposição Os Primeiros Brasileiros foi inaugurada nesta terça-feira.

Baixar arquivo
Política

Senado cria CPI da covid-19

Comissão investigará ações do governo federal no enfrentamento da pandemia e também denúncias de desvios de recursos da União repassados a estados e municípios.

Baixar arquivo
Cultura

Lançado o "Mapeamento de Projetos Sociais Arte Toda Gente"

Foi lançado nesta terça-feira o Mapeamento de Projetos Sociais Arte de Toda Gente, uma parceria da Funarte-Fundação Nacional de Artes –  e a Universidade Federal do Rio de Janeiro. As iniciativas são relacionadas com música,  artes, patrimônio, inclusão e acessibilidade.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Peixes aparecem em afluente do Rio Pinheiros, em SP, e causam surpresa

O governo do estado diz que a presença dos animais são resultado do programa de saneamento básico da região. Coordenador de ONG afirma, no entanto, que ainda falta muito para o rio ser considerado despoluído.

Baixar arquivo
Segurança

PA, SC, RS e DF registram queda nos índices de criminalidade

Três estados brasileiros e o Distrito Federal apontaram queda na criminalidade no mês passado. Para o membro do Fórum Nacional de Segurança Pública, Rafael Alcadipani, a redução de crimes tem mais relação com a pandemia do que com a atuação da polícia. Mas os secretários de segurança discordam.

Baixar arquivo