Bolsonaro presta depoimento na PF sobre importunação a uma baleia

Publicado em 27/02/2024 - 20:47 Por Oussama El Ghaouri - repórter da Rádio Nacional - Brasília

O ex-presidente Jair Bolsonaro prestou depoimento nesta terça-feira (27) à Polícia Federal em São Paulo.

Ele é investigado por uma suposta importunação a uma baleia jubarte em São Sebastião, no litoral norte do Estado de São Paulo.

O ex-presidente explicou toda a situação à Polícia Federal, segundo o advogado de defesa, Daniel Tesser.

Para ele, Bolsonaro não teria importunado o animal.

"Ficou claramente constatado, assim como no primeiro parecer do Ministério Público, que não houve importunação, não houve nenhuma das hipósteses do tipo penal que estão querendo imputar [ao Bolsonaro] em razão do avistamento da baleia. Você não consegue controlar um animal daquele tamanho que emerge debaixo da água. Então é exatamente o aconteceu. [Bolsonaro] tomou todas as precauções a partir do momento que avistou a baleia. Que é o que a lei determina e foi cumprida. Ele também nem sabia que tinha essa proibição, mas mesmo assim, tomou todos os cuidados necessários para não ter moléstia ao animal", explicou o advogado. 

O caso ocorreu em junho do ano passado. Bolsonaro se aproximou de jet ski, com o motor ligado, de uma baleia jubarte no momento em que ela aparecia na superfície da água.

Ele teria ficado a menos de 15 metros de distância do animal. Vídeos do caso foram publicados nas redes sociais.

Uma portaria do Ibama proíbe embarcações com motor ligado a menos de cem metros de qualquer baleia.

O ex-assessor e advogado de defesa de Bolsonaro, Fabio Wajngarten, estava no passeio de junho e também prestou depoimento.

O advogado dele, Eduardo Kutz, destacou que o caso deve ser arquivado e registrou o recebimento da cópia do depoimento.

"A advocacia sai com depoimento feito. Está aqui o depoimento. Quanto aos esclarecimentos, da mesma forma, foram todos prestados. Esclarecidos. Aguarda-se agora que o inquérito seja relatado e encerrado, como nem deveria ter sido iniciado", diz o advogado. 

A apuração vai definir se Bolsonaro desrespeitou a lei que proíbe “qualquer forma de molestamento intencional”, ou a importunação de baleias.

A punição prevista é dois a cinco anos de reclusão e multa. 

Edição: Roberta Lopes / Liliane Farias

Últimas notícias
Saúde

Campanha de vacinação: 22% do público-alvo tomou vacina contra gripe

A meta é vacinar 75,8 milhões de pessoas. Mas até agora foram vacinadas 14,4 milhões. 

 

Baixar arquivo
Geral

Apoiadores de Bolsonaro fazem ato público no Rio de Janeiro

Os discursos de aliados do ex-presidente misturaram política e religião, em favor de Bolsonaro, do dono da rede social X, Elon Musk, e da liberdade de expressão.

Baixar arquivo
Saúde

Brasil registra paciente com cólera em Salvador

O caso autóctone da doença – que teve origem no local onde ocorreu o diagnóstico - foi confirmado pelo Ministério da Saúde.

Baixar arquivo
Política

PEC do Quinquênio deve ser analisada no plenário do Senado nesta terça

A proposta de Emenda à Constituição estabelece um adicional por tempo de serviço para magistrados, integrantes do Ministério Público, advogados públicos, delegados da Polícia Federal e outras carreiras.

Baixar arquivo
Direitos Humanos

Mulheres vão às ruas pelo direito ao parto humanizado

Na marcha, mulheres reivindicam o direito de escolha na hora do parto e o direito ao atendimento por enfermeiras obstétricas.

Baixar arquivo
Segurança

Perfis bloqueados no X por ordem judicial ainda fazem transmissões

Isso é o que diz um relatório parcial da Polícia Federal (PF) aberto para investigar o empresário norte-americano e dono do antigo Twitter, Elon Musk. Foi constatado ainda que os perfis interagem com usuários brasileiros.

Baixar arquivo