Governo do Pará envia equipe à cidade de Faro

Objetivo é ajudar quanto à falta de oxigênio; 6 pessoas morreram

Publicado em 20/01/2021 - 13:25 Por Maíra Heinen - Brasília

O problema da falta de oxigênio em unidades de saúde na região Norte persiste e já não é só no Amazonas. Nessa terça-feira (19), o governo do Pará confirmou as mortes de seis pessoas por falta de oxigênio na cidade paraense de Faro, na divisa com o estado do Amazonas, região da Calha Norte.

Membros do governo paraense seguiram para o município nesta quarta-feira (20) para ajudar na solução de demandas relacionadas ao atendimento hospitalar.

Nas redes sociais, o governador Helder Barbalho disse que o governo está à disposição, mas que as prefeituras precisam ter planejamento para garantir equipes médicas e insumos.

O governo do Pará informou que disponibilizou serviços aeromédicos e pediu à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorização para pousar em Faro e realizar transferência dos pacientes que precisarem.

Helder Barbalho disse também que se reuniu com empresas que fornecem oxigênio para saber da situação na região e teve a garantia que há condições de atender, mas que dependem da solicitação dos municípios.

Já no Amazonas, os mais de 100 mil metros cúbicos doados pela Venezuela chegaram a Manaus na noite dessa terça-feira.

Duas das sete usinas geradoras de oxigênio requisitadas pelo Ministério da Saúde já começaram a ser instaladas. Elas darão suporte ao funcionamento das enfermarias de campanha que estão sendo instaladas pelo Exército Brasileiro na área externa do Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, unidade de referência para tratamento de covid-19 em Manaus.

As duas usinas geram 26 metros cúbicos de oxigênio por hora e vão atender os 50 leitos clínicos do hospital de campanha.

Apesar das ações, a situação no estado é preocupante. No município de Coari, sete pessoas que estavam internadas no Hospital Regional da cidade morreram nessa terça-feira, também por falta de oxigênio.

Com a falta de oxigênio, 131 pacientes já foram transferidos de unidades de saúde do Amazonas para outros estados. No total, o governo deve transferir 235 pessoas.

O senador Randolfe Rodrigues ingressou com uma ação no Supremo Tribunal Federal, pedindo que Governo Federal apresente em, no máximo, 24 horas o planejamento para disponibilização de oxigênio para os estados da região Norte.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Esportes

Judô brasileiro encerra Olimpíada com dois bronzes e mantém tradição

O judô brasileiro se despediu da Olimpíada de Tóquio (Japão) com duas medalhas de bronze. A participação terminou neste sábado (31), após eliminação nas quartas de final do torneio por equipes mistas.

Baixar arquivo
Esportes

Dupla feminina ganha medalha olímpica inédita para tênis brasileiro

O tênis brasileiro está pela primeira vez no pódio de uma Olimpíada.

Baixar arquivo
Saúde

Hospital do Câncer de Presidente Prudente é credenciado ao SUS

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participaram, neste sábado (31), da cerimônia de credenciamento do Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente, interior de São Paulo, ao Sistema Único de Saúde. 

Baixar arquivo
Saúde

Butantan pede autorização à Anvisa para aplicar CoronaVac em crianças

A Agência informou que a inclusão de uma nova faixa etária depende do encaminhamento de estudos que comprovem segurança e eficácia para as idades solicitadas. Única liberada para menores até o momento é a Pfizer.

Baixar arquivo
Saúde

Fiocruz inicia produção do IFA nacional e entrega 80 milhões de doses

A produção na fábrica de Bio-Manguinhos, no Rio de Janeiro, é um marco para a produção autônoma da vacina da Astrazeneca no Brasil. Até então a Fiocruz dependia da importação do insumo.

Baixar arquivo