Fiocruz recomenda dose de reforço de vacina para os mais idosos

Publicado em 30/08/2021 - 12:07 Por Lucas Pordeus Leon - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Estudo da Fiocruz com quase 76 milhões de pessoas vacinadas no Brasil indica que a efetividade da CoronaVac é de 75% e da AstraZeneca de 90% de proteção contra o novo coronavírus, sendo ambas efetivas para evitar infecções, hospitalizações e mortes.

A pesquisa revelou ainda que essa proteção cai, no caso da CoronaVac, para 67% em pessoas acima de 80 anos e para 33% em pessoas acima de 90 anos. Enquanto a AstraZeneca mantém a proteção praticamente estável para pessoas acima de 80 anos, com 89% de eficácia, mas cai para 65% de eficácia em pessoas acima de 90 anos.

Os dados da pesquisa que avalia a influência da idade na proteção das vacinas foram divulgados nesta sexta-feira (27). O estudo acompanhou mais de 75,9 milhões de pessoas vacinadas no Brasil, entre 18 de janeiro e 24 de julho, sendo o maior estudo com os dois imunizantes já feito no mundo.

O coordenador da pesquisa, Manoel Barral-Netto, da Fiocruz Bahia, destacou que eles já esperavam uma efetividade menor para as pessoas mais idosas, como costuma ocorrer com as vacinas de outras doenças.

"As duas vacinas tem uma eficiência adequada - todas as duas protegem. Quando nós vamos para as faixas etárias mais elevadas, nós vimos que até 79 anos a perda de proteção praticamente não existe. No caso da CoronaVac, começa a haver uma falha entre 80 e 89 anos. Tem uma queda da proteção - cai pelo menos uns 10 a 15 pontos percentuais - e na faixa de mais de 90, cai para 32%. O que já é um número baixo".

Após analisar todos esses dados, a Fiocruz recomendou que seja aplicada uma dose de reforço para os idosos acima de 80 anos no caso da CoronaVac e para os idosos acima de 90 anos que tomaram a AstraZeneca. No Brasil, já foi anunciada a dose de reforço para todos os idosos acima de 70 anos a partir do dia 15 de setembro e que estejam há pelo menos seis meses imunizados e para imunossuprimidos, que tomaram a segunda dose ou dose única há pelo menos 28 dias, independente da vacina que usaram.

A Fiocruz informou ainda que, em breve, devem ficar prontos novos estudos sobre a eficácia da Pfizer e da Janssen, assim como a influência da idade para a efetividade desses imunizantes.
 

Edição: Raquel Mariano / Nathália Mendes

Últimas notícias
Geral

Distrito Federal abre abrigo provisório depois de recorde de frio

Por enquanto, são 100 vagas a serem preenchidas por ordem de chegada, para pernoite, das 20h até as 8h, no Ginásio do Centro Integrado de Educação Física, na quadra 907 Sul, região central da capital federal.

Baixar arquivo
Geral

Divulgada a lista de aprovados do concurso para o Censo 2022, do IBGE

Agora a próxima etapa será a de convocação e depois os aprovados serão chamados pelo IBGE para realizar treinamento.

Baixar arquivo
Economia

Equipe econômica aumenta previsão de alta para a inflação deste ano

De acordo com o Relatório de Receitas e Despesas do segundo bimestre, a inflação que, na previsão anterior, encerraria o ano em 6,5%, agora deve chegar a 7,9%, mais que o dobro do centro da meta de inflação anunciada para este ano, que seria de 3,5%. Já a previsão da taxa Selic subiu de 11,6% ao ano para 12,2%.

Baixar arquivo
Saúde

Brasileiro é o 1º caso de varíola dos macacos registrado na Alemanha

O rapaz, de 26 anos, viajou também para Portugal e Espanha antes de chegar a Alemanha. Ele estava há uma semana em Munique, cidade ao sul do país. A informação foi divulgada pelo Instituto de Microbiologia de Bundeswehr, ligado às forças armadas alemãs.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Agricultura lança campanha de promoção do produto orgânico

A campanha tem como objetivo detalhar os mecanismos de controle da qualidade orgânica que são utilizados no Brasil. Ou seja, ajudar o consumidor a identificar se determinado produto no mercado é orgânico e também a reconhecer as fraudes.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Frio começa a perder força na área central do país

O deslocamento de uma frente fria sobre o litoral da Bahia, associada a alta convergência de umidade vinda do Oceano Atlântico, vai favorecer a ocorrência de fortes chuvas no norte da região Nordeste.

Baixar arquivo