Anvisa mantém proibição de venda de cigarros eletrônicos no Brasil

A decisão foi tomada de forma unânime pela diretoria da agência

Publicado em 06/07/2022 - 16:47 Por Sayonara Moreno - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Continua proibida a “comercialização, a importação e a propaganda de quaisquer dispositivos eletrônicos para fumar”, os chamados cigarros eletrônicos, no Brasil. A decisão foi tomada nesta quarta-feira, de forma unânime, pela diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), após avaliação do Relatório de Análise de Impacto Regulatório sobre esses aparelhos para fumar, também conhecidos como vapes.

A proibição já existe desde 2009, por meio de resolução da Anvisa, que cita a “inexistência de dados científicos que comprovem a eficiência, a eficácia e a segurança no uso e manuseio de quaisquer dispositivos eletrônicos para fumar”.

Uma das diretoras da Anvisa e relatora do documento Cristiane Jourdan, ao ler o relatório, defendeu a manutenção da proibição desses cigarros eletrônicos no Brasil junto com outras medidas regulatórias.

O relatório final analisado nesta quarta-feira traz informações e dados sobre os possíveis efeitos, caso os cigarros eletrônicos sejam regularizados no Brasil. Durante a reunião, diversos especialistas e estudiosos do assunto levaram contribuições para o debate. Entre eles, o médico Dráuzio Varella, que se diz “ex-fumante”. Segundo ele, o Brasil obteve destaque e vem sendo elogiado pela redução significativa do número de fumantes nos últimos anos, o que pode ser impactado com os vapes.

A médica do Instituto Nacional do Câncer Tânia Cavalcante destacou que pode ser desastroso se a venda de cigarros eletrônicos for permitida, no Brasil, porque afetaria a política nacional de controle do tabaco, que tem contribuído para a redução de fumantes e no número de mortes em decorrência do tabagismo.

Os DEF's, dispositivos eletrônicos para fumar, são equipamentos com bateria recarregável e refis para utilização, sendo conhecidos por diferentes nomes como cigarros eletrônicos, vapes, e-cigarette, tabaco não aquecido, pods, entre outros.

Com a decisão da agência reguladora, a próxima etapa deve ser o lançamento de uma consulta pública para a sociedade opinar sobre o uso desses cigarros eletrônicos. A ANVISA deve, ainda, definir como a fiscalização deve ser feita sobre a venda ilegal desses aparelhos no Brasil.

Edição: Rimack Fernandes - GT Passos

Últimas notícias
Geral

Cryptolavagem: Gaeco apreende R$ 48 mil em casa de vereador do Rio

Na ponta das investigações pelo crime de lavagem de dinheiro também estão Glaidson Acácio dos Santos,  conhecido como Faraó do Bitcoin, e Carlos Alexandre da Silva

Baixar arquivo
Saúde

Fiocruz avalia que vitamina B12 pode atenuar inflamação da covid

No entanto, ainda são necessários estudos clínicos antes que a B12 possa ser usada com segurança no tratamento dos pacientes infectados pelo coronavírus e também que a vitamina não terá efeitos na prevenção da doença

Baixar arquivo
Geral

Conselho de Administração da Petrobras tem novo presidente

Gileno Gurjão Barreto,  presidente do Serpro, Serviço Federal de Processamento de Dados, assume o cargo

Baixar arquivo
Internacional

Itamaraty apresenta candidato brasileiro ao Tribunal de Haia

O Itamaraty apresentou a embaixadores o professor de direito internacional de UFMG Leonardo Caldeira Brant, que foi escolhido para a vaga na corte das Nações Unidas.

Baixar arquivo
Justiça

Tribunal Regional Federal da 6ª Região é instalado em Belo Horizonte

A nova corte ficará responsável por julgar os processos em segunda instância que tenham origem em Minas Gerais.

Baixar arquivo
Política

TSE suspende repasse de recursos para campanha de Roberto Jefferson

De acordo com o Ministério Público Eleitoral, o candidato está inelegível até 24 de dezembro de 2023, porque foi condenado no processo do mensalão. Ele se candidatou à Presidência da República pelo PTB.

Baixar arquivo